Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Repressão total

por João Távora, em 10.12.07
Numa viragem de tendência, em 2007 as mortes na estrada em Portugal prevêem-se de novo em crescimento. Nos primeiros onze meses do ano, mais de oitocentos portugueses perderam a vida em acidentes de viação. Um número assustador se da abstracção dos números “descermos” um pouco à terra, aos implícitos dramas reais.
Na semana passada, quando com a família me deslocava a Alcácer na estrada nacional, aconteceu-me por duas vezes ter sido “empurrado” para a berma pelos habituais fangios de fim-de-semana quando ultrapassavam o seu “comboio” de trânsito numa imaginária segunda faixa. Os sustos foram grandes e confesso que, apesar da minha longa experiência de condução, não me parecia possível que a arrogância e a inconsciência pudessem chegar a tanto. Pensei para com os meus botões que estes artistas da estrada eram indígenas que, conhecendo aquela estrada, davam como adquirida a qualidade do piso das suas bermas, para onde literalmente atiravam os carros que apanhavam em sentido contrário. Provavelmente engano-me e são apenas homicidas encartados, que é o que acontece com grande parte dos portugueses quando conduzem. No fundo, o bom do Tuga, boçal e sem qualquer noção de civismo, costumeiramente testa a sua frustrada virilidade ao volante. Pagamos o preço duma cultura de brandos costumes, tradicionalmente paternalista e desresponsabilizadora: nas estradas deste Jardim à Beira Mar Plantado impera impunemente a selvajaria e arbitrariedade, um salve-se quem puder, para o qual as autoridades teimam em fechar os olhos.
Tenho uma amiga minha que conduz SEMPRE à velocidade legal, e por seguir escrupulosamente as regras torna-se quase perigosa, no meio do caos improvisado nas estradas nacionais. Chamam-lhe louca, mas de facto os loucos são os outros que a seu bel-prazer reinventam as regras consoante a conveniência.
Contra o tradicional relativismo legal, a indolente tolerância latina, hoje não tenho dúvidas em advogar uma radical revolução cultural: a intolerância total, a repressão pesada aos prevaricadores. Defendo uma acção de âmbito nacional, com dolorosas multas e penas e sem prazo final. Assim, salvavam-se algumas vidas humanas, e - à atenção dos Srs. Políticos - era bom para o deficit das contas públicas além de melhorar as estatísticas.
E, enquanto não chegasse a civilização ao ensino e às famílias portuguesas, com estas medidas ganhávamos todos, ou pelo menos ganhávamos aqueles para quem o automóvel é só um meio de transporte e para quem a morte e o sofrimento requerem se possível um sentido maior.



9 comentários

Sem imagem de perfil

De Filipe a 10.12.2007 às 23:30

O único problema quanto a mim e' o da inconsciência. Se ela se transmite em excesso de velocidade, em manobras perigosas, ah condução a 120 numa estrada vazia na faixa da esquerda, não olhar pelos espelhos, álcool, seja o que for, não interessa. As pessoas simplesmente não têm noção de nada.

Conduzir com alcool ? Sem problemas.
Muito depressa embora nem a 50 eu sei travar e curvar ? Sem problemas!
O que eh um espelho? Não preciso, o meu carro ate os recolhe!
Eu conduzir mal? Sou o melhor do mundo, nunca bati! As motas eh que são um perigo!

O que interessa eh que o grosso dos condutores, passageiros, peões, ao invés de serem protegidos contra futuros infractores, com um renovado programa de ensino nas escolas, não, vão sendo aqui e ali ridiculamente multados por tudo e por nada, justificando tudo como se as coisas se resolvessem por esta via. No entanto as estradas continuam com curvas cegas, pouca sinalização, ja' para não falar da degradação das mesmas.


Se eu for a 140 na A1 ou a 120, pouco interessa, basta eu ir a 120 e ultrapassar sem olhar pelo espelho e provoco um acidente, nem preciso de alcool. Secalhar essa pessoa nem sequer vai ser envolvida no dito. Na ideia dessa pessoa, eh o melhor condutor do mundo, porque vai a 120 e nunca bateu, o problema são "os outros" os que conduzem depressa.

isto foi so um exemplo. Quem não tem consciência, não sabe conduzir pode provocar acidentes seja pelo que for.

O que eu não tolero eh atirarem-me areia para os olhos, dizendo que a culpa eh do álcool, ou do excesso de velocidade.

E os outros factores de acidentes? Não acontecem? Não contam?

Eh que se fôssemos analisar as estatísticas a culpa eh de quem bebe agua! Secalhar não eh a tal agua, são mesmo os tais factores que em cima referi.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.12.2007 às 17:52

Ainda corre o risco de dizerem que o senhor é nazi. Aqui há coisa de um mês o Público divulgou uma sugestão de identificação dos condutores por cores e houve logo acusações desse tipo, a sua proposta ainda é mais severa, logo... mas não se rale não está sozinho eu subscrevo e marimbo-me para o que me possam apelidar
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.12.2007 às 16:34

Até o Sócrates não olha pelo retrovisor - como diz no post anterior - que é que querem?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.12.2007 às 15:33

160 cidadões num mês em Espanha? Ena, ena. Não será cidadões em Andorra?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.12.2007 às 15:13

Carissimo,

Acho que os Espanhois é que fazem bem: Carta de condução a pontos e só num mês prenderam 160 cidadões por excesso de velocidade.

O Português cuja a educação V. Exa. tão bem descreveu só entende um método: repressão a sério.

Mas, com estas autoridades de pacotilha, desautorizadas e desentendidas pelos Excelentes Políticos que cobrem todo o nosso expectro partidário... Não me parece...

Forte abraço e espero que as constipações e gripes da casa estejam melhores....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.12.2007 às 14:48

O que é muito engraçado é que andavam todos embandeirados em arco com um ligeiro e transitório decréscimo.

E manifestamente algo mudou (e para pior) para agora todos os dias haver graves acidentes com pesados. Isto tem certamente uma explicação.
Sem imagem de perfil

De João Távora a 10.12.2007 às 14:47

Caro I. Rodrigues: não me parece que seja assim tão difícil que concorde comigo em muitas coisas. Obrigado pelo alerta.
Sem imagem de perfil

De L. Rodrigues a 10.12.2007 às 14:40

"intolerância" aliás. :P
Sem imagem de perfil

De L. Rodrigues a 10.12.2007 às 14:38

Aqui está uma coisa em que podemos concordar plenamente.


(já agora, "tolerância" tem ali uma gralhazita...)

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • mrg

    Nao concordo com a liberdade ser contra intuitiva....

  • Eremita

    Não estou a confundir coisa nenhuma, como poderá v...

  • Anónimo

    cARO SENHOR Vou começar pelo fim, onde me sinto ma...

  • henrique pereira dos santos

    Está a confundir médias com picos, a gripe em 2017...

  • Eremita

    Pode também ser um pouco mais rigoroso nas suas co...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D