Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Salazar no Centenário da República

por João Távora, em 27.07.10

 

"No meio de um povo de incoerentes, de verbosos, de maledicentes por impotência e espirituosos por falta de assunto intelectual, o lente de Coimbra (Santo Deus!, de Coimbra!) marcou como se tivesse caído de uma Inglaterra astral. Depois dos Afonsos Costas, dos Cunhas Leais, de toda a eloquência parlamentar sem ontem nem amanhã na inteligência nem na vontade, a sua simplicidade dura e fria pareceu qualquer coisa de brônzeo e de fundamental."

 

Fernando Pessoa lapidar recordado por Jaime Nogueira Pinto neste brilhante artigo do jornal i

Tags:



2 comentários

Sem imagem de perfil

De Velho da floresta a 28.07.2010 às 00:35

Salazar conseguiu restabelecer a ordem num país que vivia em desordem quase continua, conseguiu relançar a economia e recuperar as finanças publicas, conseguiu que a autoridade fosse novamente respeitada e devolveu à classe politica, uma respeitabilidade que ela tinha perdido aos olhos da nação. Salazar foi um ditador, sim foi, mas olhando para os democratas que estão a afundar o país, mentido olhos nos olhos aos portugueses, dou por mim a pensar que se hoje existisse um Salazar, não sei se me oporia a ele.
Sem imagem de perfil

De NunoFcouto a 28.07.2010 às 01:00

Caro Velho.

O problema de muita gente é que se esquece o que havia antes de Salazar e as alternativas que surgiram enquanto foi presidente do concelho de ministros.

As pessoas esquecem-se que quando estourou a guerra civil espanhola, o conflito não alastrou para este lado porque Salazar não permitiu que o braço vermelho da Rússia passasse a fronteira; não perdemos as colónias para os Ingleses e os Alemães porque o Salazar jogou com eles todos, não fomos anexados pela Espanha Franquista porque Salazar sacou à força o acordo com Inglaterra de proteger as fronteiras a troco das bases marítimas e mantendo o dinheiro dos depósitos do estado que lá tínhamos, depois da Inglaterra acabar com o valor ouro da moeda; Salazar barrou os comunistas do MUD e os aventureiros como o Norton de Matos; Salazar teve a proeza de manter relações diplomáticas com os aliados e com o eixo durante a II guerra; o problema de Salazar e do Salazarismo foi o pós-guerra, a "europeização" da Europa; o ultramontanismo e a falta de confiança na maturidade política dos portugueses não permitiu que Salazar "europeizasse" Portugal, na realidade não se enganou muito; quando se deu o golpe sindical de Abril de 74, Portugal implodiu; Soares ainda segurou mais ou menos o barco mas a carruagem da Europa só no final dos anos de 80 é que chegou, apenas para a perdermos outra vez com o "guterrismo".

Já é tempo de amadurecer a história e tirar do armário os esqueletos e falar das coisas como elas são.

Salazar foi a solução possível num tempo impossível e o erro de Salazar foi não acreditar na maturidade dos Portugueses para abraçar a democracia.

A balburdia em que nos encontramos só lhe vem dar razão...

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    José Mendonça da Cruz,Sabujo é meiguice para esta ...

  • Anónimo

    Caro SenhorEu não me preocuparia tanto com as cons...

  • Anónimo

    Uma forma de prostituição, mas mais hipócrita.Aind...

  • Sínico

    O que escreveu está certo e os dois exemplos (as d...

  • Anónimo

    https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D

    subscrever feeds