Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sobre palhaçadas e um triste destino

por João Távora, em 29.05.10

 

Essa entidade “direita católica conservadora” é um equívoco que jamais terá expressão política e daqui a um mês já ninguém se vai lembrar desta delirante congeminação sobre um candidato de “bons costumes”. É conversa fiada para alimentar uma certa imprensa e comentadores ávidos por sangue e intrigalhada. Cavaco sabe bem que quando a campanha chegar, a sua triste figura da semana passada terá caído no esquecimento. Agora só tem que andar calado, pois até um estúpido que seja tímido se confunde com pessoa séria e enigmática: tudo junto com uma gravata vistosa é meio caminho para recuperar uma boa pose institucional. E convençam-se que o caso da promulgação caiu muito mal não só para os católicos, que isso de homossexuais de grinalda e alianças faz muita confusão ao Sr. António marceneiro homem de uma só palavra que nunca pôs os pés numa missa nem se o viu falar com um padre.

Quanto a Santana Lopes, ele até terá as suas contas para saldar com o presidente da república, mas confesso que me soa demasiado forçado vê-lo fazer campanha entre a Isilda Pegado e o César das Neves. De resto o caldo há muito que foi entornado e isto de eleições presidenciais é folclore que não inspira a Nação nem enche a barriga a ninguém.



9 comentários

Sem imagem de perfil

De Julio Arantes a 29.05.2010 às 17:58

Eu que julgava que isto era um blogue de direita, mas pelos vistos não é! É assim (com este pensamento político) que se distinguem da esquerdalha imoral que tem governado o país? Pois o autor do post já deveria saber que o relativismo nunca fez obra, nem deu heróis à história.


Quanto à Isilda Pegado e ao César das Neves, estas personagens têm pelo menos uma grande vantagem face à tese defendida por si: não têm que andar calados (dizem o mesmo sempre há uma série de anos) e não precisam de usar gravatas vistosas.
Imagem de perfil

De João Távora a 29.05.2010 às 18:12

Onde é que o Sr. Júlio Abrantes leu neste texto alguma palavra minha a elogiar o relativismo ou criticar Isilda Pegado ou César das Neves?!?
Por favor leia o texto devagar, devagarinho.
Obrigado
Sem imagem de perfil

De Era porreiro, pá a 29.05.2010 às 20:02

Andarem os Anacletos e Cia., mas os grupelhos de gays que tanto papel e tempo fazem gastar aos media, durante umas semanas, histéricos e esganiçados com o veto do Presidente, e, passadas essas semanas, haver nova festa como a da entrada do Paulo Pedroso, acompanhada de casais gays aos beijos na boca nas escadarias da AR quando a lei voltasse a ser aprovada, era uma coisa porreira, pá.
Ao menos, durante essas semanas o défice, a dívida, o PEC, as agências de rating, essas chatices todas, ninguém delas falava.

Porreiro, não. Porreiríssimo, pá.
Sem imagem de perfil

De Paulo Rosário Dias a 29.05.2010 às 20:57

Para a maioria da direita e sobretudo para o "partido" cavaquista não há dúvidas de ter sido a melhor decisão, promulgar com ressalva do que vetar fortalecendo esquerdistas..

Mas também é facto que ele agiu contra as suas convicções e contra as convicções da maioria que o apoia.

Distinguir entre o que foi sacrifício político ou cobardia, é algo que as futuras acções e o tempo o dirá.
Até lá, as leis poderão ser revogadas...
Sem imagem de perfil

De Esclarecimento a 30.05.2010 às 10:29

Quem escreveu o comentário a que responde não é do «partido cavaquista».

Apenas não é cego.
.
Sem imagem de perfil

De Paulo Rosário Dias a 31.05.2010 às 00:35

Ninguém perguntou, insinuou ou discriminou a preferência política de quem escreveu. ;)
A perspicácia não tem partido.
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 29.05.2010 às 22:36

Nisto tudo, depois de resolvido bem ou mal a questão do casamento homossexual, o desaparecido Manuel Alegre deve estar muito feliz. 
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 30.05.2010 às 15:27

Para quê, perdermos mais tempo? No dia da eleição, fiquemos todos em casa. Eu  N Ã O  irei, quero lá saber dos interesses do prof. cavaco Silva!
Sem imagem de perfil

De Uma coisa e o seu contrário... a 31.05.2010 às 20:24


Mas os interesses de Cavaco, segundo o Cardeal Patriarca himself, não eram defendidos se ele tem vetado a lei?

Image

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    A TAP não consegue ser rentável.Frankfurt e Madrid...

  • Anónimo

    "sendo o Estado Português a sua única possibilidad...

  • Anónimo

    De facto, poderíamos ter agido como outros países,...

  • Jose Miguel Roque Martins

    Aqui a vitima não é o Porto, é o contribuinte!

  • Anónimo

    A mesma conversa de sempre, somos mesmo uns parolo...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D