Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O labirinto do PSD

por Luís Naves, em 30.10.09

Um partido não pode ser só as suas elites ou o aparelho e concordo com o Tiago Moreira Ramalho (mais abaixo neste blogue) no elogio a Paulo Rangel, que me parece ser um político competente e decente. Mas convém acrescentar que é também um político ainda não testado. O Tiago faz um link a um texto de João Gonçalves, este com um justo elogio a Rangel e um ataque (presumo que a Passos Coelho) cuja linguagem faz adivinhar até que ponto o confronto vai ser complicado.

No labirinto da sua crise interna, o PSD só tem a ganhar com a participação dos melhores numa verdadeira eleição do próximo líder. O País necessita de um PSD unido e forte, porque a partir de agora o Governo precisa de oposição autêntica e, a prazo, antes que seja tarde, Portugal espera uma mudança.

Dito isto, subscrevo o texto de Pedro Correia onde se critica a chamada "vaga de fundo" a reclamar a candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. É "mais do mesmo", escreve o Pedro. Concordo. Não me incomoda o conceito de comandantes a chamarem as tropas a favor de um general, mas era bom que, por uma vez, não passassem atestados de menoridade aos militantes de quem dependem.

Dada a popularidade do professor Marcelo, não entendo por que razão precisa o candidato de uma vaga de fundo.

Como observador externo, gostava de ver um confronto de ideias entre Passos Coelho, Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Rio, que me parecem ser os três únicos dirigentes do PSD que saberiam governar o País. Mas temo que a intriga já esteja de tal ordem inscrita no código genético deste partido, que um confronto leal não seja de todo possível. Temo que os comandantes, mais uma vez, nem queiram verdadeiramente ouvir os soldados, que nem tencionem fazer prisioneiros.

Ao afastarem as facções derrotadas, os vencedores comprometem a paz após a batalha. Ao tratarem desrespeitosamente as facções que se perfilam, os vencedores criam ódios que impedem a segurança futura.

Como um dia escreveu o sábio Sun Tzu, na Arte da Guerra, "a raiva pode com tempo transformar-se em resignação; o humilhado é capaz de viver em contentamento. Mas um reino que uma vez foi destruído não poderá existir de novo. Nem aos mortos é restituída a vida".

 

 



Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • JMS

    Só ainda alguma dose de politicamente correcto pod...

  • Anónimo

    Caro josé Mendonça da CruzSó acresceantaria, se me...

  • mew

    Para se ensinar é preciso aprender. E é preciso fa...

  • Luís Lavoura

    Mas em outubro de 2017 houve uns uneducated mounta...

  • Anónimo

    Exacto, "Um dos temas importantes para se entender...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D

    subscrever feeds