Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Crónicas de Adolfo Ernesto (vida íntima-1)

por Luís Naves, em 22.07.09

 

O desmentido

“Achas que sou pindérica, Adolfo Ernesto?”

Quando a Clotilde me atirou com esta pergunta, soube de imediato que o caso era sério e que vinha aí uma... como diz o doutor Pulido... uma valente trapalhada.

“Então, tu achas que eu ia para a praia da Caparica? Para uma tenda? Com um homem de cinquenta anos? E quem é a tal Floribela?”

“Acho que isso seria impossível, querida...E juro que não sei quem é a Floribela, certamente um rumor sem fundamento que ouviste algures, não tenho nada a ver com isso, jamais te trocaria por uma Floribela qualquer...”

“Mas vinha no teu blogue a dizer que eu estava na praia da Caparica”.

“Vinha no Cut-Fights? Deves estar a fazer confusão”.

“Mas responde à minha pergunta. Sou pindérica?”

Esta é a situação lose-lose que nenhum amador gosta de enfrentar: se amamos, não podemos dizer a verdade; mas se não dizemos a verdade, é porque não amamos.

Optei por uma estratégia de losango, como a que inventou aquele mister Bento, que aliás está a fazer profundas mudanças na equipa e até tenciona mudar o Risco do meio para a esquerda. Eu desde já digo que não percebo nada de futebol e ouvi esta na barbearia, portanto deve ser boa ideia.

“O Cut-Fights é um blogue sério”, disse eu. “O senhor Naves explicou-me que só não publicou as minhas 30 últimas crónicas que lhe mandei porque não havia espaço”.

“Diz a esse pseudo-intelectual que se não publicar o meu desmentido, vou ter com o senhor Pacheco, que o publicará naqueles posts azuis que nem sempre é ele a escrever, ouviste? Ou pior, vai ler em voz alta o meu desmentido no programa de TV onde critica os abusos da comunicação social”.

“E como é o teu desmentido, Clotilde?”

“Vou ditar”, disse ela, com um sorriso frio que me gelou por dentro: “Ao abrigo da lei de imprensa, Clotilde Adolfo Ernesto vem por este meio afirmar que nunca esteve na praia da Caparica numa tenda com um homem de 50 anos e nem sequer sabe quem é a Floribela. Sou uma rapariga moderna e sofisticada, nada pindérica, e tal. Gosto de piscinas e de homens mais novos”.

A mulher que eu amo disse esta última frase com uma leve hesitação na voz. Talvez duvidasse intimamente da sua pós-modernidade. Sentia-se que, no interior da alma profunda, nesses abismos que desafio todos os dias, havia um ser ilimitado e frágil, que tremia de se ver ao espelho. Alguém que procurava na imagem exposta uma pequena flacidez incerta, um fugidio cabelo branco, um inesperado sinal da decadência que nenhuma crónica pode impedir.

Adolfo Ernesto, um vosso criado

 
 



Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    As pessoas entendem isto, até demais. Só que não e...

  • Anónimo

    Desculpe a insistência, mas a frase também é de Lu...

  • Anónimo

    Caro Roque MartinsTenha pena de Luís XIV: não o co...

  • Anónimo

    fuga ao som da Internacional

  • Carlos Sousa

    Se o problema dos ajuntamentos é para não contamin...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D


    subscrever feeds