Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ainda sobre a entrevista

por Tiago Moreira Ramalho, em 07.01.09

Provavelmente a parte mais interessante da entrevista a José Sócrates foi o momento em que foi apresentado o seguinte gráfico:

 

 

Apesar da manifesta falta de clareza causada por um print screen manhoso e uma colagem no paint, consegue-se perceber o conteúdo.

Ora, o que é que este gráfico nos mostra? Mostra que de acordo com o Orçamento de Estado de 2008 tínhamos um encargo em relação às parcerias público-privadas que atingia o seu pico nos 1400 biliões de euros (1 400 000 000 000 €) mais ou menos a meio da legislatura que começa em 2013. Todos os encargos estariam pagos até 2038.

Com o Orçamento de estado para 2009 acontece algo muito interessante. Os encargos até 2013 decrescem de forma consideravel e aumentam exponencialmente a partir dessa data, ficando ainda muito por pagar em 2038.

Qual é o problema disto, perguntaria uma mente distraída. O problema de tudo isto é que sabe-se à partida que o PS de José Sócrates vai ganhar as eleições legislativas deste ano, significando isso a permanência em S. Bento até 2013. Como é fácil de constatar, é muito difícil que um governo se mantenha mais que dois mandatos, por isso, o mais provável é que em 2013 S. Bento passe a ser ocupado por um social-democrata. Ora, esse social-democrata terá um complicado problema orçamental entre mãos, vendo os encargos do Estado com as referidas parcerias público-privadas quase duplicar logo no início da sua legislatura.

Premeditado? Contas feitas para arruinar a governação de quem vier a seguir? Tem sido feito com frequência ao longo de vários anos de pretensa democracia, não sei se é o caso, mas a sê-lo, demonstraria uma face quase maquiavélica de toda uma administração: mostraria a ambição do poder pelo poder.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



6 comentários

Sem imagem de perfil

De f_rodrigues@live.com.pt a 08.01.2009 às 01:14

Visto que se fala em €€€, porque não dar uma ajuda?:

24 Horas por Darfur – Sê parte desta campanha de solidariedade!

A plataforma porDarfur convida-te a associares-te a centenas de pessoas solidárias com a população martirizada do Darfur. Participa com o teu comentário de sensibilização na mega-mensagem vídeo que faremos chegar aos mais altos responsáveis nacionais e internacionais.

O procedimento é muito simples e acessível:

Basta utilizares a tua webcam, para enviares directamente para a Organização do "24 Hours for Darfur", (não é preciso ser um "Spielberg"!) e enviar o teu comentário usando o link abaixo.

Podes também enviar os teus vídeos para a plataforma "porDarfur", através do email 24hpordarfur@gmail.com, para que, posteriormente, sejam visualizados por todos em http://youtube.com/user/24hpordarfur. A plataforma "porDarfur" responsabiliza-se pelo envio dos teus vídeos para a Organização "24 Hours for Darfur".
O teu sketch pode ter até 1 minuto, faz uma chamada de atenção ou pedido dirigido aos nossos decisores, por exemplo, no sentido de que Portugal assuma as suas responsabilidades no compromisso de acabar com o genocídio no Darfur.

A organização da «24 Hours for Darfur», que pretende lembrar à comunidade internacional as suas responsabilidades para com os milhões de vítimas da região de Darfur, no Sudão, compromete-se a fazer chegar as mensagens aos seus destinatários.

Por cá, a plataforma porDarfur irá também fazer chegar as vídeo-mensagens aos Exmos. Sr. (s) Primeiro-ministro, Ministro dos Negócios Estrangeiros, Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados e ao Presidente da República, entre outros, como um abaixo-assinado, em formato vídeo.

Envia o teu vídeo para a Plataforma "porDarfur"
24hpordarfur@gmail.com

Podes também gravar o teu vídeo directamente para a Organização "24 Hours for Darfur"

http://www.24hoursfordarfur.org/


Faz chegar esta mensagem a todos os teus contactos. A tua voz pode salvar.
Mais informções em www.pordarfur.org.


Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 08.01.2009 às 10:35

O Soares até afirmou, /
o (des)Governo tardou em admitir /
a tremenda crise que rebentou, /
e o pior ainda está para vir.

Infelizmente, muitas empresas irão falir /
com esta crise tão horrorosa, /
este (des)Governo tardou em admitir, /
revelando uma atitude vergonhosa.

Agora, o (des)Governo fala em reagir, /
quando outra atitude deveria ter tido, /
não soube o povo prevenir, /
além de ter mentido.

A descida de impostos é fundamental, /
além de inevitável, /
senão o desemprego será colossal, /
ficando este "jardim rosáceo" mais deplorável.
Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 08.01.2009 às 10:37

Há quem defenda estas trapalhadas, /
a todo o custo, /
mas, as contas orçamentadas /
não merecem um "tusto"!

O (des)Governo padece de lentidão /
para os seus erros admitir, /
falta-lhe a razão /
e a realidade pretendeu omitir!

Toda a oposição criticou /
quando o Orçamento foi aprovado, /
mas, este (des)Governo errou /
e não admite ser criticado.

O Sócrates foi desafiado, /
mas por que é que recusou?! /
Este (des)Governo falhado, /
aprovou um Orçamento que já "berrou"!

Poucos dias durou, /
um Orçamento em Novembro aprovado, /
este (des)Governou errou /
e nas contas foi humilhado!

O Sócrates que tanta coragem tem, /
e que roupas caras gosta de vestir, /
o Orçamento não vale um vintém, /
e é arrogante ao não admitir!

Aos orçamentos gosta de brincar, /
este (des)Governo falhado, /
revela não saber governar /
e apresenta um Orçamento fantasiado.

A irresponsabilidade é total, /
pois, nem contas sabem fazer, /
este descalabro orçamental /
reflecte a incompetência no poder.

Este (des)Governo "socialista", /
que vive na ilusão, /
é composto por gente narcisista /
e muita fraquinha na governação.

O debate foi negado, /
revelando um receio tremendo, /
este país desgovernado /
precisa de um sério emendo.
Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 08.01.2009 às 10:39

Aos orçamentos gosta de brincar, /
este (des)Governo de incompetentes, /
para a propaganda renovar /
e enganar as nossas gentes.

O orçamento em Novembro aprovado, /
poucas semanas durou, /
por toda a oposição foi criticado, /
críticas que o (des)Governo ignorou.

O (des)Governo com toda a sua incúria, /
aos orçamentos gosta de brincar, /
deixando o país na penúria /
e a economia afundar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.01.2009 às 12:54

Tudo certo, salvo que está por encontrar esse tal PSD que em 2013 irá ocupar a cadeira do poder.
Sem imagem de perfil

De Núncio a 08.01.2009 às 16:49

A ética e a seriedade intelectual não têm côr.
Pouco importa quem vai exercer o poder a partir de 2013. Até poderá ser outro primeiro-ministro do PS. Mas isso não prejudica o que está dito e que é mais do que demagógico. É uma questão de carácter. Mas que esperar de pessoas que se formam em universidades de reputação duvidosa e de forma pouco académica?

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Esse jornal, o Expresso, ou traz poesia ou noticia...

  • Anónimo

    Sr. João, o direito a abster-se é tão legitimo qua...

  • Pedro Picoito

    Não tem escrito direito e as linhas são muito tort...

  • EMS

    Essa edição do "Expresso" é de 1973. É natural que...

  • João Távora

    Com os problemas dos outros posso eu bem...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D