Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Emoções básicas (9)

por Luís Naves, em 09.09.08

O negativismo medíocre é uma doença viral que afecta muitos portugueses. O sintoma mais grave é terrível: a pessoa deixa de conseguir ver o lado positivo da situação.
Sei do que falo, pois estou afectado. Aliás, devia ter escrito ‘absolutamente terrível’ e ‘absolutamente afectado’, mas o estado febril e lúcido (absolutamente lúcido) impediu-me de usar a terminologia na moda.
Sou um negativista medíocre, o que, como se sabe, não tem cura.
É tipo Invasion of the Body Snatchers (na imagem); no fim, ninguém escapa, mas até sermos apanhados, somos imunes.
Olho para os números do crescimento económico e, em vez de um trimestre acima da média europeia, vejo um preocupante abrandamento.
(Imaginem que eu dizia isto numa festa). Já estou a ver o ministro Pinho a rir-se e a dizer:
“Você está mesmo apanhado com esse negativismo medíocre, aproveite os nossos competitivos genéricos. Cure-se”.
Como bom pessimista, eu diria ao ministro que estou mais pobre do que há dez anos, mas a culpa deve ser minha. Devia antes ver que ainda tenho emprego.
E a queda das exportações, a inflação, as revisões em baixa, o endividamento?
Tudo erro de perspectiva, claro. Efeitos da febre elevada. É não conseguir ver a crise internacional, que até afecta os Estados Unidos, esse colosso.
Os problemas da educação, da saúde, da justiça?
“Chegue-se para lá, ò homem, e não espirre”.
E a ausência de crítica, este ambiente de unanimidade democrática, este bem-estar geral que transparece da TV e da bloga e que não parece ter alguma coisa a ver com a realidade.
“Ó amigo, a realidade é que está enganada, essa negativista medíocre”.
E, por favor, deixem de olhar para mim como se eu fosse um extraterrestre que acabou de ocupar o corpo de um inocente ex-optimista que ia a passar.

Autoria e outros dados (tags, etc)



6 comentários

Sem imagem de perfil

De l.rodrigues a 09.09.2008 às 14:28

Diz quem estuda estes assuntos que os clinicamente deprimidos têm uma percepção mais realista do futuro.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.09.2008 às 14:37

Que ao menos o negativismo seja excelente e jamé medíocre.
Sem imagem de perfil

De Mialgia de Esforço a 09.09.2008 às 14:56

Bolas! Acabo de concluir que padeço do mesmo mal. Mas não há mesmo nada que se possa fazer? Nem indo a Vilar de Perdizes?

Se calhar é mesmo isso. A coisa até está bem, nós os negativistas é que percepcionamos mal a realidade.

Gostei da sua fábula. Até consegue pôr o Pinho a falar! É obra!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.09.2008 às 15:37

Lado positivo da situação... assim de repente só estou a ver as pernaças da Sarah Paley.
Sem imagem de perfil

De CORRECÇÃO a 09.09.2008 às 15:41

Palin, obviamente, não sei o que me passou pela cabeça.
Sem imagem de perfil

De Mialgia de Esforço a 09.09.2008 às 15:56

Paley?

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Os políticos encontraram o pão e circo que precisa...

  • Anónimo

    Regressar à GalileiaO Lago de Tiberíades é um luga...

  • Anónimo

    Isto aqui, sim que foi uma grande medalha de louvo...

  • Anónimo

    Protocolos de encontrosA ALDEIA GLOBAL TORNOU-NOS ...

  • Anónimo

    O povo nunca esquece nada. Deixa-os cá vir...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D