Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A propósito do disaine

por Corta-fitas, em 12.10.06
Miss Pearls escreveu aqui um texto sobre o disaine da sinalética das casas de banho que é uma pérola e me fez lembrar uma história verídica. Estava eu num país de leste e tinha bebido cerveja (tão bem disposto, limitava-me a afiar os meus bigodes, enquanto observava as pessoas que passavam na praça) quando senti uma repentina urgência de aliviar a bexiga. Nas proximidades, havia um café elegante, novinho em folha, e dirigi-me para lá. Tinha umas casas de banho ao fundo e aqui começa verdadeiramente a tal história verídica.
Naquele país de leste as respectivas palavras para mulheres e homens são Nök e Ferfiak. Quem pensar alguns segundos sobre tais sonoridades esdrúxulas, perceberá que Nök é mais rotundo, grácil, mas também mais subtil, expressão mansa e hábil, composta por fortes elementos de artifício, desembaraço e talento; até (porque não dizer?) de uma elegância meiga. Em resumo, é uma palavra feminina. Já Ferfiak induz sugestões de brusquidão e dureza, sendo uma palavra (como dizer?) algo rude e tosca, finamente bravia, plena de autoridade. Enfim, masculina.
O pior é chegar a estas conclusões numa aflição. Analisei aquilo, analisei de novo, e nada. O meu dicionário mental estava paralisado.
Restava-me recorrer ao disaine: e tínhamos numa porta o que me pareceu ser uma camponesa estilizada, já que havia uma sombra do que lembrava um saiote ou vários saiotes, um peito algo proeminente (mas isso podia ser extremo orgulho) e uma cabeça que poderia considerar-se ter cabeleira (mas podia ser chapéu). Na outra porta, o que me convenci ser o boneco estilizado de um cavalheiro (ou de um camponês), pois que havia talvez bigodes parecidos com os meus e a figurinha calçaria eventualmente botas. Foi o que me pareceu, embora já não visse nada à frente, enquanto pensava em barragens que se arruinavam e em ondas do Havai, inundações e tsunamis.
Concluí, naquele momento difícil, que os disaines não cumpriam as normas da união europeia, cujos regulamentos são felizmente taxativos sobre coisas destas.
Sem aguentar mais, irrompi numa das duas opções e escolhi (erradamente) a palavra Nök. Fui saudado por um coro de gritos de horror, claramente femininos, e bati em retirada. Só que, entretanto, uma agente da autoridade tinha reparado e, severamente, esperava-me no retorno. Não foi preciso que ela dissesse alguma coisa. Olhou-me e ordenou-me que a acompanhasse até à esquadra, dando-me voz de prisão na tal língua esdrúxula (não percebi uma palavra, mas compreendi tudo).
As coisas agravaram-se na esquadra, porque o sargento era demasiado lento a escrever o auto da ocorrência. O tipo devia ser meio analfabeto ou queria fazer um documento sem mácula ou a língua é mesmo difícil. A lentidão era exasperante. E eu só imaginava torneiras com válvulas avariadas, deixando correr o precioso líquido.
Felizmente, sobre a mesa estava um pequeno dicionário Esperanto-Inglês. Acontece que o lerdo sargento era um esperantista. É uma língua que eu também não falo, mas o meu desespero atingira o paroxismo, aquele limiar em que começamos a falar qualquer língua. Consegui fazer-me entender. "Ah! Quer ir à casa de banho", respondeu o sargento, num esperanto totalmente compreensível, tão boa pronúncia tinha. E apontou-me um longo corredor. Nestas coisas, ou a casa de banho é longe ou saímos tarde. Felizmente, era perto ou eu ainda tinha saído a tempo. Havia duas portas. Numa delas, via-se o disaine nitidamente de um polícia com cassetete; na outra porta, estava o que parecia ser o exacto disaine de um polícia com cassetete...

Autoria e outros dados (tags, etc)



1 comentário

Sem imagem de perfil

De luisnaves a 12.10.2006 às 18:03

não vá por aí. Nesta história, sublinho, verídica, não há qualquer episódio de alcoolismo. Apenas um caso de lost in translation

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D

    subscrever feeds