Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma questão de TAGS - Crónica

por João Távora, em 24.11.06
Tenho dois amorosos adolescentes em casa. Com eles (e mais através do conhecimento do "mundo" deles), apercebo-me das aspirações e realidade da geração jovem que agora desponta, nos alvores do século XXI. Constato todos os dias que eles (saudavelmente) desconstroem e desconfiam da herança que lhes queremos deixar. Aliás os miúdos acreditam firme e insolentemente que o mundo começou ontem, ao som do hip hop.
Quando eu tinha a idade deles, acreditava ter nascido no auge da história, e viver na curva vertiginosa da definitiva viragem do homem para a clarividência. Toda a iconografia juvenil, a expressão plástica, política e tecnológica nos anos 70 me pareceia apontar nesse sentido. Na tecnologia, pontificava a recente ida à Lua, a alta-fidelidade e o nuclear. O reacender do surrealismo na literatura, os Sex Pistols ou a Patty Smith, a música minimal de Jorge de Lima Barreto a pintura de António Palolo, tudo parecia ser possível, a regra e os limites estavam erradicados. Na moda, nas roupas, em tudo parecia-me impossível mais criatividade. A liberdade era um privilégio dos mais afoitos. Olhando para o hippie de tamancas, roupa "selvagem" e cabelo hirsuto, para as justíssimas calças do punk de cabelo pintado e camisolão até aos joelhos, duvidei que a originalidade e a contestação chegassem algum dia mais longe. O mundo tinha mudado para sempre e eu apanhara o comboio.
Mas olho para os jovens de hoje e espanto-me como a sua imaginação e irreverência se mantêm sem limites. De fato de banho a cair pelas pernas com boxers por baixo, t shirts por cima de camisolas, skate debaixo do braço e fones nas orelhas, aderem a distintas e diversas "correntes" estilizadas, os góticos, dreads, os (ainda) punks, os rastas etc. etc. trocam na Internet ficheiros de temas hip hop construídos pelos próprios, simples protestos ou declarações de amor. E assim, assustados e inseguros, eles afirmam-se donos incontestáveis da verdade e do seu tempo. Outra vez...
Mas parece-me quase sempre que o que lhes falta são "ideais". Quanto a mim, falta-lhes "colar" uma "ideologia", um "projecto" ou uma "utopia", à sua infindável energia contestatária. Falta-lhes colar um significado ao seu Tag. Aliás, o desprezo - quase sempre inconsciente - pela participação na res publica é por demais evidente na rapaziada. E é isso que me deixa mais apreensivo.
Eu, quando era um rapaz novo, julgava-me parte de um processo irreversível de construção de um mundo mais humanizado e justo. E, para dizer a verdade, ainda me penso assim.

Autoria e outros dados (tags, etc)



5 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2006 às 17:52

Muitos dos ideais dos pais desses adolescentes estão a desmoronar-se, ou já caíram (quase) completamente: a religião mais dogmática e cruel, o comunismo. Talvez eles achem que são coisas “pouco recomendáveis”. Dêm-lhes tempo, eles irão talvez descobrir ideais mais feitos à sua medida - à medida do seu tempo. Talvez, por exemplo, não pensem tanto em mudar o mundo (dos pensamentos), mas mais em preservá-lo (à Terra e aos homens que nela vivem, alguns tão mal). Se cada um responder por si, serena e responsavelmente, respeitando o outro, talvez já seja meio caminho andado, talvez não sejam necessárias grandes discussões ideológicas.
Filipa
Sem imagem de perfil

De Hexagonista a 25.11.2006 às 00:03

Olhe, sabe de uma coisa? Não sei que idade tem, mas suponho que seja mais velho do que eu ( tenho 26 anos ). Ainda assim, nunca li uma cronica tão iluminada acerca destes seres mais novos e mais altos do que eu que se passeiam nas avenidas de ca do sitio.
Gostei muito.
Sem imagem de perfil

De LB a 24.11.2006 às 23:14

É cota, caro amigo, é cota! Eu também. Pelas mesmíssimas razões.
Sem imagem de perfil

De Lis a 24.11.2006 às 23:04

Adolescentes à deriva, desesperados por um ideal, um objectivo- assim os sinto e compreendo...
Sem imagem de perfil

De Miguel Vaz a 24.11.2006 às 19:51

Boa malha ;)

Haja alguém que não vê os adolescentes como extraterrestres. Haja alguém que ainda consiga recuar para relembrar as coisas do "seu tempO".

Talvez esses "projectos" e "ideologias" não existam porque essa coisa dos estilos seja hoje muito plástica, descartável e vazia. Se os punks de ontem eram realmente revolucionários e contestatários, os de hoje (muitos deles) almoçam no MacDonald's.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • João Távora

    Há um pouco de ruído à volta que não ajuda, mas ai...

  • Anónimo

    "Será verdade que não se ouve, lê, nem vê uma notí...

  • Anónimo

    Hã? Não entendi. O João Távora educa os filhos com...

  • Anónimo

    its a full time Job. :) 

  • João Pedro Pimenta

    Se é realmente, ao que tudo indica, naquele ponto ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D