Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os elogios (pouco) certeiros de Vasco Graça Moura

por Filipa Martins, em 07.05.08

Sempre me deixou desconfortável a utilização, na minha opinião abusiva, do espaço público e do acesso aos órgãos de comunicação para a bajulação, mesmo que pouco certeira…

 

"A escolha de Fernando Negrão pelo PSD é boa e consistente. No estado a que as coisas chegaram, só um magistrado judicial pode contrariar com conhecimento de causa, firmeza e isenção, a vaga de judicialismo acusatório e desagregador de que a câmara tem sido alvo". Vasco Graça Moura, in DN, 23/5/2007

---

"Marques Mendes inspira-se na firmeza de Sá Carneiro, no saber de experiências feito e no rigor de Cavaco Silva, na versatilidade de Marcelo e na destreza política de Durão Barroso. Sem copiar nenhum deles, e interpretando também, a seu modo, o legado de Mota Pinto, estrutura a sua coerência e a sua persistência próprias à luz desses paradigmas que se tornaram património político e histórico do PSD, acrescentando a essa matriz o seu contributo pessoal: respeito do interesse nacional, fidelidade programática, ligação às bases, abertura institucional, independência de espírito, verticalidade, coragem política, energia, minúcia nos detalhes, solidez, segurança e viabilidade nos posicionamentos e nas propostas". Vasco Graça Moura, in DN, 26/09/2007

---


"Manuela Ferreira Leite é uma figura altamente prestigiada da cena política portuguesa e uma das personalidades mais marcantes do PSD. Detém um capital de respeitabilidade e de seriedade que fala por si, sendo inquestionáveis as suas qualidades intelectuais e a sua competência. Alia uma vasta experiência da coisa pública e do funcionamento das instituições a um sentido de Estado que a coloca num plano de superioridade incontestável". Vasco Graça Moura, in DN, hoje

Autoria e outros dados (tags, etc)



10 comentários

Sem imagem de perfil

De J.C. a 07.05.2008 às 13:35

Fez-me lembrar a irritante letra cantada daquele anúncio televisivo ao Continente ou lá o que é: «Ontem, hoje e amanhã»...
Sem imagem de perfil

De tric a 07.05.2008 às 14:06

"Sempre me deixou desconfortável a utilização, na minha opinião abusiva, do espaço público e do acesso aos órgãos de comunicação para a bajulação, mesmo que pouco certeira…"

então deve andar muito desconfortavel com a bajulação publica ao Ken Passos Coelho ...

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.05.2008 às 14:53

E, vistas as coisas hoje, elogios como "Marques Mendes inspira-se na firmeza de Sá Carneiro, no saber de experiências feito e no rigor de Cavaco Silva, na versatilidade de Marcelo e na destreza política de Durão Barroso" tornam-se risíveis...

A sua liderança foi sumamente decepcionante, tão decepcionante que foi dar em Menezes.
Sem imagem de perfil

De Anónimo das 14:53 a 07.05.2008 às 15:22

O que escrevi era para ser comentário ao post e não comentário ao comentário. Peço desculpa.
Sem imagem de perfil

De martelo a 07.05.2008 às 16:11

A senhora está enganada. E não conhece Vasco Graça Moura. Ele sempre foi positivo ao falar do PSD. Não colaborou para a situação que agora se vive no partido. Não entrou nas acções divisionistas que levaram à queda de Marques Mendes e de Luís Filipe Menezes. Mas que raio de pessoas são vocês neste blogue? Dizem-se pela liberdade de expressão e depois criticam desta forma um homem íntegro, culto, lutador, trabalhador (veja-se o que faz em defesa da suspensão do acordo ortográfico)? Vasco Graça Moura não tem o direito de defender o seu partido e quem o lidera da forma que entender? Se ele estivesse a 'arrasar' com os líderes eleitos, talvez a senhora lhe estivesse a bater palmas...
Sem imagem de perfil

De Mirtilo a 07.05.2008 às 16:49

Este Martelo não será o Calvão???
Sem imagem de perfil

De Pedro Menezes Simoes a 07.05.2008 às 18:21

A liberdade de expressão contém em si a liberdade de criticar a utilização que os outros fazem dessa liberdade de expressão (i.e., criticar o que eles dizem).

O que o "martelo" afirma é que quem é defensor da liberdade de expressão se deve autocensurar perante os disparates dos outros. O que é um disparate. E um contrassenso.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 07.05.2008 às 17:00

Falta lembrar que o Dr. Vasco Graça Moura entrou em ruptura com Francisco Sá Carneiro no congresso do PPD de Dezembro de 1975, em Aveiro, e nunca mais voltou a filiar-se. Tem por isso acrescida autoridade para se pronunciar sobre estas matérias.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.05.2008 às 17:10

Eu estou com a D. Filipa. Essa bajulação ficaria bem (se é que ficava) no Povo Livre (se é que ainda existe), não e nunca num jornal como o Diário de Notícias. Depois queixem-se de que as vendas vêm por aí abaixo. Pagar para ler disso? Safa! Safa!
Sem imagem de perfil

De funes, el memorioso a 09.05.2008 às 13:02

O problema deste post é que não uma crítica à utilização do espaço público para bajulações pouco certeiras. É uma diatribe contra Vasco Graça Moura.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Esse jornal, o Expresso, ou traz poesia ou noticia...

  • Anónimo

    Sr. João, o direito a abster-se é tão legitimo qua...

  • Pedro Picoito

    Não tem escrito direito e as linhas são muito tort...

  • EMS

    Essa edição do "Expresso" é de 1973. É natural que...

  • João Távora

    Com os problemas dos outros posso eu bem...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D