Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Portugal com memória para cumprir o futuro

por João Távora, em 02.02.11

 

Ontem 1 de Fevereiro ao final da tarde a Igreja da Encarnação foi pequena para acolher as centenas de patriotas que quiseram marcar presença ao lado da Família Real portuguesa na homenagem a S.A.R.R. o Rei D. Carlos e do Príncipe Real D. Luís Filipe por ocasião do 103º aniversário da passagem do seu cobarde assassinato no Terreiro do Paço. A emotiva cerimónia religiosa foi presidida pelo Padre Gonçalo Portocarrero de Almada cuja homilia pode ser lida aqui.

John Barry

por Maria Teixeira Alves, em 01.02.11

Morreu ontem o compositor da banda sonora do África Minha, um dos mais belos filmes do Século XX.

Da série "conversa em família"

por Rui Crull Tabosa, em 01.02.11

"A semana passada, uma jornalista francesa que conheço desde 2007 esteve em Lisboa para, a pretexto das eleições presidenciais, tomar o pulso ao país e indagar sobre o efeito da crise e dos cortes orçamentais na psique nacional. Ao fim de um dia de contactos, chegou à hora do jantar certa de que vivemos todos na miséria mais negra. Aparentemente, a nenhuma das pessoas com quem falou ocorreu mencionar algum aspecto positivo do país, alguma melhoria ou progresso na sua vida, enfim, fazer uma análise equilibrada do estado das coisas", escreve hoje a sr.ª fernanda câncio.

Tanta ingratidão... o povinho que, ao fim de seis anos de iluminado governo do sr. pinto de sousa, levou agora uns cortes valentes no salário e tem um invejável iva a 23%, é mesmo pobre (ai, pobre não carago...) e mal agradecido...

(minúsculas ao abrigo do novíssimo acordo canciográfico)

Muito a propósito do exaltante texto linkado e com as devidas adaptações, eis outro alto momento de incompreensão pelos desagradecidos lusos:

 

Primeiro-Ministro terá abandonado o País

por Rui Crull Tabosa, em 01.02.11

Chefe do Estado nomeia um novo primeiro-ministro para fazer "verdadeiras reformas políticas".

títulos equívocos

por Rui Crull Tabosa, em 01.02.11

"DGS diz que não há razão para alarme"

Frases que põem o PS e os corporativos de molho

por Rui Crull Tabosa, em 01.02.11

"Para o PS português, é o momento, também, de fazer uma reflexão aprofundada. Para dar um novo impulso à sua participação na vida política (independentemente do Governo), com mais idealismo socialista e menos apparatchik, mais debate político e menos marketing, mais culto pelos valores éticos e menos boys que só pensam em ganhar dinheiro e promover-se", escreveu hoje Mário Soares...

Jorge Lacão traz novidades

por João-Afonso Machado, em 01.02.11

Consta ser propósito do irrequieto ministro socialista homenagear os mártires da Pátria, pese embora a sua recusa em apontar quais mártires e defenir o que é a Pátria.

Ainda assim: Lacão defende a redução dos deputados da República, de 250 para 180. Em sinal de apreço pelo sacrificio de tantos em prol dos respectivos ideais e valores. Dada a previsivel necessidade de um processo de revisão constitucional, propõe-se mesmo concretizar a medida através do normativo do Código de Trabalho.

Termo do mandato com base em despedimento colectivo, extinção do posto de trabalho, inadaptação, fim do período experimental, justa causa... Sobram os fundamentos para levar a cabo tão edificante iniciativa.

E porque o exemplo vem de cima (o que nada tem a ver com questões de altitude...), Lacão, ele próprio, já se voluntariou para um acordo de resolução do contrato. Até porque, acrescenta, com a sua longa carreira ministerial, não está, de todo, agarrado à função parlamentar.

História aos quadradinhos

por João Távora, em 01.02.11

 

Rua da Mouraria, no landó real, a Rainha D. Amélia, el-rei D. Carlos, o infante D. Manuel e o príncipe real D. Luís Filipe (ambos de costas).

 

Fotografia de Joshua Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L. (com a devida vénia ao Bic laranja)

 

Regicídio - 103 anos

Logo pelas 19h00, na Igreja da Encarnação ao Chiado,

será celebrada missa em memória

do Rei Dom Carlos e do Príncipe Real Dom Luís Filipe,

com a presença da família Real.

Memória do Carregal

por João-Afonso Machado, em 01.02.11

Lembro bem o que custou fazer-te sentir os jardins da cidade. De todos, o do Carregal seria o meu preferido, fechado como uma concha, a proteger-se da Urgência do Santo António, do IML, de tanta porcaria que o cercava. Mas, indo além nos seus carreiros, era o laguinho, a ponte, os patos... E uma sombra, um silêncio cúmplice, muito calhados em convidar a palavrinhas meigas ao ouvido, só se tem vinte anos uma vez, não é?

Sem perceberes porque não te levava ao shopping, sempre aceitaste, contrariada, a experiência. Uma voltinha pelo Carregal. Foi em uma data importante qualquer, mais uma excentricidade minha, monárquico, mas como não ser laranjinha, como não rejubilar nos dias de campanhas eleitorais?

(Facilitara muito a leitura de Pessoa e de Mário de Sá-Carneiro; e, com uma pitadinha de Florbela Espanca, a tua perplexidade derivou para as bandas do romantismo contestatário. Pagaram a factura os pobres teus pais, ordeiros e cumpridores funcionários públicos...). 

Sentámo-nos no banco, como se chegássemos ao apartamento de que ambos não dispunhamos. E não é que resolveste implicar com as penas dos patos esvoaçantes, ou mesmo com certos esverdeados inevitáveis em todos os recintos de aves?

Não, o futuro era inexistente. Circunstância complicada porque namoravas e estudavas visando o casamento, logo às primeiras badaladas do canudo e da licenciatura. Ajuizadamente, responsávelmente, na mesma pose com que militavas no teu partido político e fazias caretas aos bifes mastigados da Adega da Figueiroa.

Acabaste mandando-me à missa - em latim. E eu fui. No regresso, estes anos todos depois, encontrei-te bem casada, duplamente mãe, feliz na profissão e feliz em casa. E muito afeiçoada à minha Monarquia de sempre.

Já não sei aonde nos revimos. Sei apenas que, toda empiriquitada, rumavas a um jantar de celebridades. Se eu não ia? Não, não vou. Sigo com a rapaziada mais nova, ao bife mastigado da Figueiroa.

Coraste. E aceitaste, sem mais demoras, o braço que o teu marido te oferecia.

O Egipto pós-Mubarak

por Maria Teixeira Alves, em 01.02.11


Pág. 11/11



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D

    subscrever feeds