Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A bloga aos nossos pés...

por Corta-fitas, em 01.01.11

 

Naquela que foi uma significativa demonstração de bom gosto, o Corta-fitas acaba de ser eleito "Blog do Ano" na eleição promovida pelo programa "Combate de Blogs", da TVI24. Parabéns aos eleitos nas outras categorias: Estado Sentido ("Blog Revelação do Ano") e Rui Bebiano, do Terceira Noite ("Blogger do Ano"). Entretanto, este programa da TVI24 mudou de horário e agora dura uma hora, entre as 18h e as 19h de domingo. A todos os que nos deram o seu voto, agradecimentos sentidos e promessas de que em 2011 vamos fazer o possível para que não se arrependam.

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Olhá Lula!"...

por Rui Crull Tabosa, em 01.01.11

...e foi assim que o meu filho, de 8 anos, ao ver a Dilma dinamite 'discursando' na tomada de posse, sintetizou o percurso político da criatura inaciana...

Autoria e outros dados (tags, etc)

2011: o ano da verdade

por Rui Crull Tabosa, em 01.01.11

Durante seis anos José Sócrates governou o País a seu bel-prazer.

Demagogo como poucos, profissional da política, hábil manipulador das expectativas da população, mestre da propaganda, parco em escrúpulos, exemplo acabado do chico-espertismo nacional, Pinto de Sousa – assim é o seu nome de família – foi, até há bem pouco tempo, um caso de sucesso na política portuguesa.

Os seus podres apenas o tornaram mais forte e ao povo menos exigente. A sua estratégia de domínio dos pilares organizados da Nação, a começar pelo Estado, pela economia e pela finança, e a acabar nas empresas de comunicação social pública e privadas, deu e continua ainda a dar enormes frutos e vantagens ao círculo próximo dos amigos do primeiro-ministro. E a ele próprio, evidentemente.

Porém, o fogo fátuo em que assentam as suas políticas económicas e sociais, desde a economia à educação e saúde, ameaça, agora que a crise veio evidenciar as fragilidades nacionais, fazer ruir o seu poder como um castelo de cartas.

A generalizada subida de preços, a descida de salários de centenas de milhares de trabalhadores, o desemprego crescente, as falências sucessivas, principalmente na indústria e comércio, a pobreza que vai grassando cada vez mais, já não só entre os pobres tradicionais, mas também nas classes médias, serão a dura realidade que nos espera este ano e, a continuarmos assim, nos que lhe seguirem.

Em 2002, quando Guterres nos legou o pântano e fugiu do governo, Durão Barroso fez o célebre discurso da tanga e o PS, com a habitual falta de vergonha que o caracteriza, fingiu que a deplorável situação em que então nos encontrávamos nada tinha a ver com os seis anos de despesismo e desperdício da gestão socialista.

Agora, se ao PS fosse dada a oportunidade de fugir novamente, cedo repetiria o discurso desavergonhado de que a culpa do colapso à beira do qual nos encontramos seria de quem lhe sucedesse e não da incompetência, do golpismo, do amiguismo e sim, do despesismo, que caracterizaram a governação dos últimos seis anos.

É por isso que eles não podem fugir outra vez às suas responsabilidades perante o País. O PS tem de continuar a governar mesmo que o não queira. Este ano vai ser, a todos os títulos, a prova cabal, a prova definitiva, sobre a falência do modelo socialista e a mentira das políticas que nos têm imposto.

Até há um ano, os Portugueses deixaram-se enganar, mas creio que este ano abrirão finalmente os olhos e endenderão que o principal responsável pela situação em nos encontramos tem um nome: José Sócrates Pinto de Sousa.

A saída do poder, para ele, terá de ser a pontapé. Terá de ser sob o jugo, uma rendição incondicional. Sem negociações nem armistícios.

E então teremos o nosso Ano Zero, o tempo em que começaremos a reerguer Portugal, livres da mentira, do folclore político, da propaganda descarada, do novo-riquismo e do amiguismo.

Então, percebendo, como tão bem os nossos emigrantes o percebem lá fora (porque razão apenas aqui nos sentimos incapazes de potenciar as nossas naturais e enormes qualidades?), que só com trabalho, honestidade, probidade, perseverança, empreendedorismo e amor à Pátria, seremos capazes de dobrar outra vez as Tormentas, então, sim, descobriremos a nova Boa Esperança que nos levará à construção de um País mais moderno, economicamente desenvolvido e socialmente justo e responsável. E, acima de tudo, mais decente.

Faço votos para que 2011 seja o último deste tempo de vésperas e o prenúncio das mudanças radicais que se impõem a Portugal se quisermos inverter a decadência do presente.

(imagem retirada daqui)

Autoria e outros dados (tags, etc)

O novo ano

por João-Afonso Machado, em 01.01.11

Encontrei ontem, no Rossio, o Padre Victor da paróquia do Conta-me Como Foi. O reverendo passeava uma criancinha, possivelmente uma das muitas lá da catequese, e, simpáticamente, ofereceu-lhe um passeio no carrocel. Para que aspirasse, também, algo que ficou no ar, de parisiense, depois da recente instalação deste apetrecho. Do carroussel.

Enfim, procedeu avisadamente o Padre Victor. Hoje, primeiro dia de 2011, a voltinha é já certamente mais cara. Quase tudo o é, também. E a Igreja necessita, como nunca antes, de bem gerir os seus esgotáveis - e já muito esfalfados - recursos. A Igreja - e as restantes privadas instituições de solidariedade social. Porque, desde a nossa disponibilidade manifestada para o sustento do Estado indigente, face mesmo ao descontrolado entusiasmo, à generosidade da esmagadora maioria dos portugueses, a verdade é que ele não chega. Ao fim do mês, para muitissimos, o dinheirinho não chega, já não está lá, nem em parte alguma.

Quero dizer: está nos cofres do Estado ou nas mãos dos croupiers do Casino Republicano. E só a Igreja - as Igrejas - e os seus derivados e afins surgirão, como têm surgido, como uma malga de caldo, um agasalho, um tecto, duas palavras de conforto.

O Regime assim dispôs: para os governados, o carrocel; para os governantes a roleta - infelizmente não russa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 13/13



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • António

    O Sr. Sócrates não está parado. Com este governo d...

  • Anónimo

    O jornalixo cá do burgo tem um ponto, cavalheiresc...

  • sampy

    A resposta de Moro é uma pérola:"Não debato com cr...

  • Anónimo

    O que é que a Greta tem que eu não tenho?Esta cois...

  • Anónimo

    Penso que quis dizer "subisse tão baixo".


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D

    subscrever feeds