Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Palavras que odeio (82)

por Pedro Correia, em 01.02.08
Regicídio

Tags:

Desporto às sextas

por Pedro Correia, em 01.02.08

ANA IVANOVIC. Por causa dela gosto cada vez mais de ténis.

Não deixa de ser sexta-feira

por Corta-fitas, em 01.02.08
(Com o devido respeito a El-Rei D. Carlos) Aida Yespica


«Sejamos sérios», como costuma repetir Pacheco Pereira. De como lidar com os lobbies falou-se pouco ou nada e a maior parte das mais de 30 perguntas colocadas pelo público ficaram por responder. Essa foi também a opinião de Pedro Passos Coelho, presente na assistência. No entanto, nem por isso o debate de ontem na Lusíada foi morno ou despojado de farpas incendiárias.
Paixão Martins teve direito à primeira palavra e aproveitou-a bem, para situar-se no ringue como alguém que «está num debate e não num combate». «Eu se pudesse multiplicava os Pachecos Pereiras», disse, «enquanto Pacheco Pereira se pudesse exterminava as empresas de comunicação». Logo de seguida, saiu-se com o soundbyte que JPP, minutos mais tarde, acusaria como exemplo das frases que «ganham pernas e um efeito viral»: «Pacheco Pereira tem má pontaria e o medo de falhar leva-o a disparar rajadas de metralhadora».
Para além do soundbyte, LPM levava uma agenda e cumpriu-a: Clarificar a sua posição face à resposta da AR e acusá-la de não ter tido um comportamento correcto na forma como comunicou a recusa de acreditação dos consultores ao Parlamento. E atacar António Cunha Vaz, dando azo a picardias como esta:
LPM: «Faça-me o favor de não confundir consultores de comunicação com o Cunha Vaz, ou tudo o que diz está certo».
JPP: «Eu sei que os dois partilham o mercado».
LPM: «Por favor. Não ofenda o mercado».
José Pacheco Pereira levava também a sua agenda, com argumentos idênticos àqueles que tem reiterado publicamente. Para JPP, que afirmou nada ter contra a representação de grupos de interesse desde que de forma transparente, «há uma degradação dos mecanismos formais de decisão dos partidos», os quais estarão a substituir o Ethos (que associou a «virtude»), dificilmente comunicável, ao Pathos que faz depender a substância da forma. Dito de maneira mais simplificada, «a subordinação da política ao acto de a comunicar».
JPP defendeu ainda a profissionalização da Comissão de Ética num Parlamento que deveria centrar-se menos na produção de legislação e mais na supervisão dos actos legislativos do Governo, dando exemplos «reprováveis eticamente» como o de António Vitorino, Pina Moura e, sem citar o seu nome mas de uma forma que foi claramente entendida, Jorge Neto.
Para LPM, enquanto ele mesmo vê à sua volta o mundo como caos, JPP insiste em vê-lo de acordo com uma ordem inexistente. «Não são Pinto Balsemão ou Belmiro que dominam os media. É o Comendador Berardo e a lógica de entretenimento».
Já para JPP, «A maioria das decisões ninguém sabe quem as toma». «Nós não sabemos como é feito o tráfico de influências e corrupção».

Uma frase de LPM: «A transparência está para os consultores de comunicação como a objectividade para os jornalistas».
E outra frase de JPP: «Temos um Estado muito sobreposto à actividade empresarial. O que é muito pouco saudável».
*Título roubado a Paixão Martins mas adequado para o autor deste post.

Faz hoje cem anos

por João Távora, em 01.02.08
Ninguém sabe ou calcula, quando se mata um rei, o que é que morre com ele e quantos séculos de história podem afogar-se numa pequenina gota de sangue.

Professor Agostinho Campos


Pág. 18/18



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    pelo seu comentario se calhar nunca trabalhou para...

  • Anónimo

    Sem dúvida, um excelente texto. Que bem fundamenta...

  • Anónimo

    Não é parva não Senhor...Dizem que pró ano, nos ós...

  • Anónimo

    chamar a Holanda um pais civilizado é uma pura abe...

  • Anónimo

    Está é tudo doido! Matem-se todos já! Deixem de co...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D

    subscrever feeds