Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O regresso dos Polícias

por Corta-fitas, em 02.01.07

Gostei de ler esta notícia de última hora e vou ficar atento às datas. Quem sabe não farei uma visita relâmpago a Londres nas próximas férias: «Sting, o guitarrista Andy Summers e o baterista Stewart Copeland - The Police - pensam voltar a tocar juntos numa série de concertos no Reino Unido, no Verão, para assinalar o trigésimo aniversário de criação do grupo, noticiou o Daily Mirror».
Ainda há dias, e a propósito de um estrondoso e recente sucesso literário, lembrei-me aqui desta musiquinha. Desfrutem-na agora, em jeito de recordação, pelas muitas horas somadas na pista de dança que nos deu este trio, vai para três décadas.

Postais blogosféricos

por Pedro Correia, em 02.01.07
1. O Luís decidiu pôr ponto final no seu blogue. Lamento: O Franco-Atirador marcou a blogosfera portuguesa em 2006. Entre os blogues de esquerda, sobretudo, era um dos mais estimulantes.
2. O excelente Da Literatura festejou o segundo aniversário com a entrada do novo ano. Não sei se é o melhor blogue português, como alguns já têm referido. Mas é sem dúvida um dos melhores: pela qualidade da escrita, pela variedade dos temas abordados, pelo desassombro das opiniões, pelo elegante grafismo. Enfim, por textos como este. Parabéns, Eduardo Pitta e João Paulo Sousa!

A capa do dia (4)

por Francisco Almeida Leite, em 02.01.07
O Le Monde dá hoje grande destaque à mensagem de Ano Novo do presidente francês. Numa tradução livre: "Chirac define a aposta das presidenciais". Para Chirac, a próxima campanha presidencial em França deve decorrer sem o recurso a "ideologias" nem a "extremismos" (numa alusão a Le Pen).
Com uma postura muito institucional, portanto sem deixar transparecer o apoio a Nicolas Sarkozy (por quem, aliás, não morre de amores), Chirac percorreu temas mais ou menos recorrentes na política gaulesa: os valores da República, o progresso económico, as responsabilidades da França no mundo, na Europa e no meio ambiente. Mesmo sem ter feito exigências claras ao Governo, a mensagem fez manchete.

Olá ó vida malvada

por Corta-fitas, em 02.01.07

Comecei o ano sem ler jornais, ver televisão ou ouvir rádio. E sem consultar blogues, mesmo os mais estimáveis. Regressado a casa, tirei o som ao discurso do Presidente da República no esforço de manter-me acordado e refugiei-me na pacatez do quarto com um bom livro, logo que começou o programa dos Gatos Fedorentos. Hoje, regresso à espuma dos dias como quem mergulha na realidade saltando da prancha de dez metros com um grande «chapão». E para animar-me, e a vós também dilectos leitores, aqui fica um poema de Charlotte Bronte (sem trema porque não sei como fazê-lo neste teclado):

Life, believe, is not a dream
So dark as sages say;
Oft a little morning rain
Foretells a pleasant day.
Sometimes there are clouds of gloom,
But these are transient all;
If the shower will make the roses bloom,
O why lament its fall ?


Rapidly, merrily,
Life's sunny hours flit by,
Gratefully, cheerily,
Enjoy them as they fly !


What though Death at times steps in
And calls our Best away ?
What though sorrow seems to win,
O'er hope, a heavy sway ?
Yet hope again elastic springs,
Unconquered, though she fell;
Still buoyant are her golden wings,
Still strong to bear us well.
Manfully, fearlessly,
The day of trial bear,
For gloriously, victoriously,
Can courage quell despair !

As exigências de Cavaco Silva

por Francisco Almeida Leite, em 01.01.07
A mensagem de Ano Novo do Presidente da República deve fazer-nos reflectir sobre aquilo que muitos pensam ser a idílica cooperação estratégico-institucional entre Belém e São Bento. É certo que Cavaco Silva tem sido um suporte responsável da política do Governo, mas é evidente que tem aqui e ali exercido a sua magistratura de influência. O envio da Lei de Finanças Locais para o Tribunal Constitucional, por ter dúvidas (já dissipadas) em dois dos artigos estruturantes, é um exemplo disso. Mas há outros. Os roteiros contra a exclusão, os encontros com empresários e uma presença temperada na cena política. Os exemplos mais importantes ficam, no entanto, escondidos atrás da porta nas reuniões de quinta-feira entre Presidente e primeiro-ministro, reuniões essas que o próprio Cavaco já reconheceu (a Maria João Avillez) usar para influenciar um pouco a política de Sócrates.
Agora, se é certo que ainda é cedo para avaliar o grau de intervenção e de influência que este Presidente irá querer ter - ainda nem sequer completou um ano de mandato -, também é verdade que Cavaco não será com Sócrates o que Soares foi com os seus governos. De Belém não se irão ouvir impropérios sobre ministros ou políticas, nem dali sairá a organização de um qualquer congresso "Portugal Que Futuro?"
De Belém está a sair, aos poucos, uma linha que Cavaco Silva gostava de ver implementada por este executivo. Ou por qualquer outro. A mensagem de Ano Novo contém esses sinais, assim como acredito que a primeira grande viagem de Estado à Índia irá ser um marco de como o PR pensa que o País pode desenvolver-se.
Mas vamos à mensagem: "É chegado o tempo de ultrapassar a fase de reduzido crescimento económico e de acertar o passo com os nossos parceiros europeus, consolidando um novo ciclo de desenvolvimento". Cavaco a alertar para o fraco ritmo do crescimento (que Marques Mendes quer ver nos 3%).
"Vivemos num mundo globalizado, onde a concorrência entre as diversas economias é cada vez mais intensa. A Europa tem de competir com a China, a Índia e outros países asiáticos, onde a mudança é feita a um ritmo sem precedentes. Portugal só poderá estar entre os primeiros se souber adaptar-se a esta nova realidade. Temos de afirmar as nossas competências e provar que compreendemos o mundo complexo de que fazemos parte". O País tem de modernizar-se e apostar na inovação e nas novas tecnologias, defende o PR.
"Também neste ano de 2007, no seu segundo semestre, Portugal vai presidir ao Conselho da União Europeia. Trata-se de uma tarefa exigente, complexa e de grande responsabilidade. Mas a presidência da União Europeia será igualmente uma oportunidade, que tão cedo não se repetirá, para afirmar o prestígio de Portugal". Na liderança da UE, na segunda metade do ano, Cavaco quer trabalho e projecção do País. Não deverá querer protagonismos espúrios.
E agora aquela que acho a melhor tirada e o aviso mais certeiro para o executivo de Sócrates: "Os portugueses exigem realizações concretas. E o Presidente da República, no início deste ano de 2007, acompanha-os nessa exigência de resultados. É muito importante que em 2007 se registem progressos claros em, pelo menos, três grandes domínios da nossa vida colectiva: desenvolvimento económico, educação e justiça". Quem acha que o PR terá sido algo vago nas suas intenções, atente-se ainda a isto: "É crucial que 2007 fique marcado por uma recuperação do investimento". Esta frase significa que Cavaco Silva irá estar atento aos números e, nesse aspecto, o País agradece. O ano de 2006 fica marcado por uma série inacreditável e nunca vista de fecho de fábricas, deslocalizações e ameaças de dias sombrios para milhares de trabalhadores e respectivas famílias. Porque o País continua a não oferecer condições fiscais competitivas nem a ser cativante em termos de política pública empresarial.

História de algibeira (11)

por João Távora, em 01.01.07

Na fotografia (daqui), a moderníssima Av. Rainha D. Amélia em 1908. Após a revolução de 5 de Outubro a conhecida artéria Lisboeta foi renomeada Almirante Reis.

A ter em conta

por Francisco Almeida Leite, em 01.01.07
Uma das novidades do novo ano é o blogue da fiscalista Marta Rebelo. Chama-se Linha de Conta e promete, até a avaliar pelo lema escolhido: "Contra o dia burocrático e o modo funcionário de viver". É bom lembrar que a assistente da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, que foi o braço-direito do malogrado Sousa Franco na academia e no escritório, é adjunta jurídica de Eduardo Cabrita e uma das grandes responsáveis pela nova Lei de Finanças Locais. É de louvar que ao menos alguém deste Governo se digne a dizer o que pensa, o que lê e vê num blogue. Diria mesmo que o caso é inédito.
Nos 'posts' de estreia da Marta na blogosfera, ficamos a saber o que pensa esta promessa do PS sobre o referendo de dia 11 de Fevereiro, os filmes que viu (gostou do "Rainha" e de "Babel") e, pelo meio, ainda comenta o último artigo do Pedro Lomba na "Geração de 70" e um dos últimos de Paulo Portas na revista "Tabu". Aí está uma visão menos autista deste PS. A acompanhar, de perto.

Novo Ano

por M. Isabel Goulão, em 01.01.07

Se bem que o Ano Chinês só tenha início a 18 de Fevereiro, creio que o ano gregoriano começa em beleza aqui no Corta-Fitas com a Ziyi Zhang.


Pág. 15/15



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Foi precisamente isso que foi feito com o primeiro...

  • Anónimo

    É aquilo que se faz com os eucaliptos.Quando se co...

  • henrique pereira dos santos

    No fundo foi o que fizemos antes do último fogo, m...

  • Anónimo

    os novos deuses humanos querem contrariar a nature...

  • Susana V

    Interessante. Não seria mais eficaz deixar toda a ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D


    subscrever feeds