Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Um novo Fidel?

por Duarte Calvão, em 12.08.06
Depois da inacreditável crónica de Ruben de Carvalho no DN de quinta-feira, sobre a qual escrevi o post "O Hezbollah é de esquerda?", sei agora através da leitura de Alberto Gonçalves, na Sábado (que tem também um óptimo editorial sobre a forma como os jornalistas estão a cobrir o conflito no Líbano), que Miguel Urbano Rodrigues esteve no Irão e fartou-se de encontrar aspectos positivos, que relata no Avante muito ao estilo das crónicas de viagem que se faziam outrora sobre visitas a paraísos comunistas como Cuba, RDA ou Roménia. Ou, noutra linha, à China ou à Albânia. O ódio à América, que já tinha motivado Fernando Rosas a defender o programa nuclear iraniano, partilhado entre a esquerda portuguesa e fundamentalistas xiitas, começa a ter consequências delirantes.

Autoria e outros dados (tags, etc)



8 comentários

Sem imagem de perfil

De lusitânea a 14.08.2006 às 21:16

Ai o Rosas/BE defende bombas atómicas para o Irão?Também já ouvi defender casas melhores para os imigrantes.Concluindo pedir não custa nadsa!
Sem imagem de perfil

De L. Rodrigues a 14.08.2006 às 14:56

Sr, Duarte, não sou pessoa para alimentar ódios, mesmo que como referi, me dêem razões para isso. Tenho todo o respeito pelas democracias. Tanto que respeito por isso os lideres eleitos do Irão. O que há de positivo no irão é a sua humanidade, é uma população que simpatiza com a democracia e os seus valores, e que soube a pouco e pouco apontar para uma caminh que os liertaria da ditadura dos ayatollahs. Há ali um potencial de laicismo e tolerãncia, como de resto no Libano, que as "democracias ocidentais" preferem alienar do que deixar um país, que de acordo com alguns tem metade das reservas de petróleo do mundo, seguir o seu caminho.
Sem imagem de perfil

De JPT a 14.08.2006 às 13:45

o rosas defende o programa nuclear iraniano? não posso crer, apesar do rosas
Sem imagem de perfil

De duartecalvao a 14.08.2006 às 11:52

Não vi, André. Tenho pena. Essa estirpe que refere não só não está extinta, como anda à procura de novos ídolos.
Parece-me, L. Rodrigues, que essa dos "fundamentalismos opostos" é querer pôr no mesmo plano uma ditadura teocrática com democracias tolerantes. Mas acho bem que assuma que os dirigentes americanos lhe despertam ódio e que considera que há aspectos positivos no Irão. Estamos, de facto, em campos opostos.
Sem imagem de perfil

De L. Rodrigues a 14.08.2006 às 11:04

Não li nem ouvi o senhor em questão. O que ele possa ter dito pelos voitos é do mesmo calibre deste post, já que transparece desde logo que o sr Duarte acha impossível encontrar aspectos postivos no Irão. Acho que são fundamentalismos opostos, apenas. Ambos deploráveis na melhor das hipótess. E mesmo que não odiemos a América, os seus dirigentes não têm sido parcos em dar-nos motivos para isso...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.08.2006 às 21:00

Enterrados o sectário-geral Castrim e o secretário-geral Cunhal, o estalinismo continua felizmente vivo entre nós, graças ao Pedro Namora (arre!!!) e ao Miguel Urbano Rodrigues (que, embora já tenha morrido, ainda não deu por isso).
Sem imagem de perfil

De AMC a 12.08.2006 às 16:08

Duarte,
Não sei se ouviu ontem no Jornal das 9 na SIC-N a entrevista do tolerante Crespo ao Miguel Urbano Rodrigues.
O homem continua com o mesmo discurso dos saudosos debates com o Embaixador Franco Nogueira na RTP1.
Permanece um estalinista puro, defendendo as ditaduras torcionárias, como a cubana, esquecendo-se dos valores fundamentais da democracia.
Digamos que, ingenuamente, pensei que essa estirpe de celerados, Tiranossaurus Rex, estivesse completamente extinta.
Sem imagem de perfil

De Joshua a 12.08.2006 às 12:03

Pura prostituição intelectual em nome não sabemos de que compensação.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anonimus

    País em que o debate dos transportes públicos se r...

  • Anónimo

    «Martinho Lutero, no Documento Adendo: Contra as H...

  • xico

    Das boas heranças que o comunismo deixou nos paíse...

  • Anónimo

    continua a guerra de trincheiras da I GM preferia ...

  • Anónimo

    ainda não percebi o que mrs entende ser a função d...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D