Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Manifestação de desagravo

por Isabel Teixeira da Mota, em 04.03.08

A direcção do PS decidiu ignorar as vozes de aviso dentro do partido, os protestos nas ruas e, o que é pior, o bom senso. Convocou, isso sim, um comício de apoio ao Governo, enquanto os professores, os pais e os alunos se angustiam com a teimosia da ministra da Educação. "Chama-se manifestação de desagravo. Também se faziam no Estado Novo. De cada vez que alguma coisa corria mal, lá vinha o povo apoiar o ditador", dizia-me há bocado a Eduarda Ferreira que já era jornalista nesse tempo. 


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.03.2008 às 14:50

Muito bem visto. So falta apelar ao apoio ao venerando Chefe do Governo.
Sem imagem de perfil

De Ricardo S a 04.03.2008 às 15:31

Ainda este Domingo conversei com um casal de professores meus amigos e a ideia que me transmitiram é que a maioria dos professores querem a reforma e, sobretudo, serem avaliados, principalmente os bons professores.
Os professores bons e competentes querem a avaliação, que os premiará em relação aos maus e incompetentes.

Ora se a maioria quer a reforma e concorda com a avaliação, porque fala em "os professores, os pais e os alunos se angustiam com a teimosia da ministra da Educação"? Fez algum inquérito, alguma sondagem?
É que parece que quem trabalha no sector (professores) sabem melhor do que ninguém o que se lá passa... Duvido que os pais que viam os seus filhos não fazerem nada quando um prof faltava e agora vêem um prof substituto a dar a aula estejam angustiados...

E será que a reforma é assim tão má como diz? A da Saúde também era e os primeiros a criticá-la e a exigir a demissão do Ministro, foram os primeiros a, após este se ter ido embora, a elogiá-la.
Onde está a coerência e a seriedade?
Ou o que interessa é dizer mal, por dizer mal, criticar por não gostarmos daquele que lá está e preferirmos (sempre) o da nossa cor?

Cada vez mais sou a favor destas reformas, apesar de todas elas terem alguns erros e defeitos graves. Porque as corporações estão a sentir a seringa no rabo e a ver que as regalias injustificadas e abusivas estão a acabar. Querem regalias, façam por merecê-las. Não é como casos que conheço, na função pública, que gravam músicas e séries (que "sacam" da net durante o serviço) cd's no horário de expediente e, terminado este, começam a trabalhar para cobrar horas extraordinárias a nós contribuintes. Eu não estou para pagar a estes abusadores!

Para terminar: se quem é contra pode vir para a rua manifestar-se contra, porque não podem os que são a favor vir também para a rua defender a reforma? Ou apenas alguns podem e outros não? Isso sim é pouco democrático.

Cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De Paciente Português a 04.03.2008 às 15:59

Pois está visto, a gente conhece um casal de professores e forma logo uma opinião que por mero e estranho acaso não tem nada a ver com a dos milhares de professores que estão contra o sistema de avaliação lançado a meio do ano lectivo, com critérios esdrúxulos e feito à meia-volta só para se dizer que foi uma grande obra do governo.
Sem imagem de perfil

De Ricardo S a 04.03.2008 às 17:15

Caro paciente português:
se reler o meu comentário, certamente perceberá que a ideia de que a maioria dos professores são a favor da avaliação foi deles e não minha. Eles são professores e sabem, melhor do que ninguém, o que se passa no sector, mesmo melhor que a Ministra...

Eu, como advogado, também sei o que se passa no meu sector e sei quais as opiniões e sentimentos dominantes na minha classe, mesmo que em alguns casos certos grupos dêem a entender que a nossa classe pensa o contrário...

Concordo que algumas das medidas poderão ser erradas e prejudiciais para o sistema, mas a verdade é que ainda não ouvi, dos que criticam, uma única ideia alternativa. Apenas sabem criticar e dizer mal desta proposta (da Ministra). É que nem uma!

Cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 05.03.2008 às 18:20

Também acho engraçada a ideia da espontaneidade das manifestações. Até parece que aquela organização toda nasce espontaneamente, sem a mãozinha dos sindicatos.
Quanto aos argumentos dos professores e ao seu conhecimento de causa, atentem nos comentários que fazem para a televisão. Repetem sempre os mesmos chavões tantas vezes desmontados. Quando perguntam quais as razões porque estão contra, não sai nada para além de lugares comuns, notas demagógicas.
Exemplos:
... a ministra insulta-nos, humilha-nos, maltrata-nos, etc. Já alguém viu a ministra a insultar professores ? E o contrário ?
... estamos extenuados! Não temos tempo para fazer a nossa própria avaliação...
... nunca vim a uma manifestãção porque nunca fui tão maltratado!!
E é esta gente que tem a responsabilidade de ensinar os nossos filhos, quando é notório que eles é que não foram devidamente ensinados !!
Sem imagem de perfil

De Lobo a 04.03.2008 às 21:57

Com os conhecimentos sobre o assunto em questão e a argumentação apresentada, receio pelos clientes do Dr. Ricardo S. Afinal de contas, com um olhar atento sobre os textos por ele escritos já dá para fazer uma avaliação ou, no mínimo, um primeiro diagnóstico...
Sem imagem de perfil

De Ricardo S a 05.03.2008 às 11:25

Obrigado pela preocupação caro "Lobo". Os meus clientes também lhe agradecem.
Sem imagem de perfil

De Manuel Leão. a 05.03.2008 às 15:02

Admiro a rapidez com que conseguiu obter a opinião dos seus clientes.
Ou isso já fazia parte da procuração forense?
Ou são muito poucos?
Sem imagem de perfil

De Ricardo S a 05.03.2008 às 18:55

Já constava da procuração. É que as minhas são sempre especiais...

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com



Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  • Outros blogs

  •  
  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2023
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2022
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2021
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2020
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2019
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2018
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2017
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2016
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2015
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2014
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2013
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2012
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2011
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2010
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2009
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2008
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2007
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D
    235. 2006
    236. J
    237. F
    238. M
    239. A
    240. M
    241. J
    242. J
    243. A
    244. S
    245. O
    246. N
    247. D