Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Reflexo condicionado

por Pedro Correia, em 30.11.06
Vital Moreira gasta duas linhas e meia da sua tinta na Causa Nossa a contestar a falta de consideração do PCP pela "autonomia" e pela "situação pessoal" dos seus deputados e o dobro (!) desse espaço a desancar Luísa Mesquita, chamando-lhe "super-ortodoxa", sem sequer se dignar mencioná-la pelo nome, repetindo a deselegância cometida em Agosto, quando criticou o ex-presidente da Câmara de Setúbal, Carlos Sousa. Numa espécie de reflexo condicionado que parece provir dos tempos em que, enquanto deputado comunista na Assembleia Constituinte, chamava aos adversários políticos "demente" e outros mimos em boa hora recordados aqui, o constitucionalista vai ainda mais longe, destilando uma insinuação inqualificável contra Luísa Mesquita: "São Bento vale bem uma infidelidade partidária!"
Tratar-se-á de um "ajuste de contas", explica o Daniel Oliveira. Talvez só isso justifique tanto primarismo, na forma e no conteúdo. Nem os autocratas de serviço na Soeiro Pereira Gomes foram tão longe.

Autoria e outros dados (tags, etc)



16 comentários

Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2006 às 20:51

Muito bem. Até à próxima polémica...
Sem imagem de perfil

De Margarida a 02.12.2006 às 20:44

Só por ele ser o o Presidente do Grupo Parlamentar, Pedro? Não me acredito que acredite isso. Mas pronto. Fiquemos por aqui.
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2006 às 19:52

Claro que sim. Mas essas palavras só tiveram tanta repercussão pelo facto de ele desempenhar funções relevantes, como presidente do grupo parlamentar do PCP.
Sem imagem de perfil

De Margarida a 02.12.2006 às 18:15

O Pedro conhece os nossos Estatutos, sabe que lá “dentro” discutimos tudo e com bastante calor, e que é escusado pensar que a direcção ou algum responsável iria desrespeitar os Estatutos que obrigam a todos, falando de divergências para “fora”. Isso simplesmente não fazemos, mesmo que nos custe incompreensões.
E sobre as declarações do Bernardino é óbvio que se não fossem infelizes ele não teria precisado de fazer o esclarecimento. E lembro-me que na altura – e já lá vão quase quatro anos – eu própria levei alguma “porrada” de camaradas meus porque dizia que tinha “percebido” porque é que o Bernardino dissera o que disse. Graças ao google consegui recuperar essa entrevista que me vai ajudar a explicar porquê. Cá está esse extracto:

“Consideraria que na Coreia do Norte vigora um regime comunista?

Temos falado nisso em vários congressos... julgo que o que caracteriza a questão do Coreia do Norte, neste momento, é a difícil apreensão do que se passa, de facto, naquele país.

Difícil apreensão? Os dados que dispõe não são suficientes para poder dizer, por exemplo, se a Coreia do Norte é uma democracia?

Tenho muitas reservas em relação à filtragem da informação feita pelas agências internacionais.

Ao ponto de não poder dizer se o país é democrático?

Sim. Tenho dúvidas que não seja uma democracia.”

E a explicação é esta: nas vésperas de ter saído essa entrevista eu vira numa das cadeias internacionais (BBC? CNN?) uma reportagem sobre uma grande festa comemorativa na Coreia (não me lembro do quê). E essa reportagem era uma trampolinice do princípio ao fim, nem sequer pretendia ter alguma racionalidade. Daí ter pensado que o Bernardino vira a mesma reportagem quando falou nas “muitas reservas em relação à filtragem da informação feita pelas agências internacionais”. Se viu ou não, não sei, nunca tive oportunidade de lhe perguntar. Mas claro que com a onda de críticas que se levantou até camaradas meus que me estão próximos nem queriam que eu abrisse a boca para tentar “explicar”. È certo que ao Bernardino competia simplesmente expor a posição do Partido, o que imediatamente fez com o esclarecimento posterior. De facto as declarações foram infelizes, mas quanto a mim foram também quase que indecentemente aproveitadas para uma campanha que ainda hoje dura. Afinal não temos todos também declarações infelizes?
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2006 às 16:48

Margarida, claro que estou de acordo consigo: "em todos os conflitos há sempre pelo menos duas opiniões". Por isso critico o facto de a direcção do PCP silenciar com frequência opiniões divergentes em nome da sacrossanta regra do "centralismo democrático". Quanto à história da Coreia, o comunicado posterior do Bernardino não invalida as declarações infelizes que ele anteriormente proferiu sobre o mesmo assunto.
Sem imagem de perfil

De Margarida a 02.12.2006 às 16:26

Agradeço-lhe a oportunidade que me dá para lhe lembrar que logo no mesmo dia em surgiu essa polémica sobre a Coreia o Bernardino imediatamente esclareceu conforme se segue (mas que é sempre omitido):
“Esclarecimento de Bernardino Soares
Terça, 25 Fevereiro 2003
Tendo sido questionado por vários órgãos de comunicação social, sobre questões de democracia, tenho a declarar o seguinte:
As concepções de democracia e de socialismo que no PCP defendemos para Portugal estão inscritas no nosso Programa.
Quanto à Coreia do Norte é uma evidência que as concepções de socialismo e de democracia que defendemos estão nos antípodas das deste País, e que rejeitamos vigorosamente quaisquer tentativas para “colar” o PCP a experiências ou práticas pelas quais não é responsável e que são estranhas às suas concepções.
Para nós a democracia política tem um valor intrínseco, mas não limitamos a democracia a esta vertente, embora ela seja essencial. Ela deve concretizar-se e aprofundar-se nas suas várias dimensões: democracia política, económica, social e cultural.
O PCP mantém actuais as análises e as críticas que fez no XIII Congresso e que reiterou nos Congressos seguintes ao inaceitável “modelo” de socialismo que se edificou e que levou ao seu colapso.
É também uma evidência que a democracia no nosso País tem vindo a ser empobrecida no campo da democracia política e designadamente nas vertentes da democracia económica e social. “

Quanto às outras questões que levanta, terá que admitir – dando o benefício da dúvida - , que em todos os conflitos há sempre pelo menos duas opiniões, e que muitas vezes só vimos uma publicada.
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2006 às 16:01

Margarida, agradeço as sugestões que me dá: um jornalista deve estar sempre receptivo às críticas. Mas terá também de admitir que o partido, em muitos casos, não ajuda nada. Foi o que aconteceu com as declarações infelizes do Bernardino sobre a Coreia e agora os casos Carlos Sousa e Luísa Mesquita. Já não falo em todo o processo interno 2000/02, que deu origem a clivagens tão sérias entre camaradas de toda uma vida, por ser de análise muito complexa. Um dia será feita a história desapaixonada desse período conturbado da existência do PCP.
Sem imagem de perfil

De Margarida a 02.12.2006 às 14:54

E então onde é que quer chegar Pedro Correia? Francamente não percebo. Como já lhe disse antes a mim satisfazia-me relatos mais decentes ou tão simplesmente dar o benefício da dúvida, ao menos uma vez por outra.
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.12.2006 às 13:24

Ah, e mais: já que fala do DN, fui eu o primeiro jornalista a noticiar (no DN) que Jerónimo de Sousa seria o substituto de Carlos Carvalhas. Na altura, a Soeiro "desmentiu". Poucos meses depois confirmou-se.
Sem imagem de perfil

De Margarida a 01.12.2006 às 21:51

Não se vê grande diferença entre o que escreve por aqui e o que escreve por lá.

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Vai acabar como sempre tem acabado desde o sec.XVI...

  • Anonimus

    Se o Trump não quer pagar autoestradas no Iraque, ...

  • Francisco Albino

    E ainda um efeito pouco referido e particularmnete...

  • Anónimo

    a mini-remodelação ficou sem suspensórios por dete...

  • marina

     don mariano deu conta do recado, quero ver q...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D