Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Cara Rita Ascenção

por Corta-fitas, em 28.02.07
A Rita coloca em comentário no post anterior a questão do silêncio do Corta-Fitas relativamente à demissão da direcção do Diário de Notícias e pergunta se é uma questão de «falta de coragem para defender os colegas».
Parece-me evidente e natural que o facto de vários autores deste blogue serem jornalistas no DN os impeça de fazerem quaisquer comentários sobre esse assunto, e que carece de sentido falar em «solidariedade, luta e greves» no caso em apreço. Se tivessem demitido o meu Director-Geral, também não seria aqui que abordaria o assunto com toda a certeza.
Por outro lado, pessoas como eu que não trabalham no DN poderiam ter escrito sobre o tema, dirá alguém (ou dirá a Rita). Não me parece. Aqui no Corta-Fitas tem cada um de nós a liberdade de escrever o que bem entende, mas não tem – obviamente – o direito de comprometer outras pessoas com as suas opiniões o que, neste caso, poderia suceder.
Além disso, e ao contrário da Rita, não considero que as referidas demissões sejam um tema «que aflige as pessoas no quotidiano». Aliás, creio que as pessoas no quotidiano se estão bem nas tintas para quem dirige o DN ou aliás outro qualquer jornal ou revista. Em suma, uma coisa é certa: Aqui no Corta-Fitas não há «falta de tomates» (para citar eruditamente o nosso AJJ). Mas também não há falta de juízo e senso comum.



18 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.03.2007 às 14:26

Não me lembro de um tema tão fracturante para a blogosfera portuguesa como a situação no DN. O que, só por si, é interessante. Pelo que se diz, mas também (ou sobretudo?) pelo que se cala.
Sem imagem de perfil

De Maria a 28.02.2007 às 21:24

Como visitante assídua, devo dizer que não desejo vir aqui encontrar uma frente unida qualquer!
E não acredito que esse tipo de questões laborais ganhem alguma coisa em ser abordadas aqui, pelo
que concordo que seja de bom-senso não o fazer.

Gosto do blog como ele é, embora muitas vezes discorde de opiniões aqui expressas. Mas a possibilidade de diferir e falar sobre isso é um dos encantos da coisa!

Um blog não tem que ser militância seja do que for: é aquilo que os seus autores escolhem, e os outros lêem ou não, concordam ou não, comentam ou não.
Pessoalmente, acho que o primeiro objectivo de uma coisa destas é decerto dar PRAZER a quem o faz.
Eu, por exemplo (e perdoem-me a citação!) gostava de criar blogs, mas não sei o que eles comem!... ;)
Sem imagem de perfil

De João Villalobos a 28.02.2007 às 21:19

O meu também. A minha sugestão era literal e com zero de subentendidos.
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.02.2007 às 20:23

Drª Rita Ascensão (ou Ascenção? usou as duas formas, ignoro qual delas seja a verdadeira): a senhora, tal como todos os leitores deste blogue, merece-me respeito.
Sem imagem de perfil

De rita ascensão a 28.02.2007 às 19:21

Pessoa amiga acabou de dizer-me que o senhor Pedro Correia é muito boa pessoa. Limitei-me a opinar sobre o que vi no blogue. Peço desculpas ao visado.
Quanto ao JV não fui malcriada para si. Se quisesse abrir um blogue não visitava o seu. Penso que a sua intenção foi mandar-me embora. OK, adeus para sempre.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.02.2007 às 17:31

" o senhor Pedro Correia não merece respeito." - frase devidamente entre aspas dado que não é de minha autoria mas sim de Rita Ascenção. Uma professora.

acho que não preciso de escrever mais nada pois não?

Haja paciência para em casa, contrariarmos estas noções de julgamento fácil na ponta da faca, a que estarão eventualmente sujeitos os alunos da professora Rita Ascenção.
Sem imagem de perfil

De João Villalobos a 28.02.2007 às 16:49

Cara Rita Ascenção,

O que diz do nosso Pedro Correia não é justo e ele merece-me todo o respeito. Quanto ao meu ponto,perdoe que lhe diga que não me entendeu.
A roupa suja não se lava em casa e aqui, no que ao DN concerne, é como se fosse uma casa de férias, mas ainda assim uma casa.
Quanto aos temas de que fala e se quer que lhe diga,PESSOALMENTE considero que não são, com efeito, temas a abordar num blogue e muito menos neste. Por que não cria o seu?
Atenciosamente
JV
Sem imagem de perfil

De rita ascenção a 28.02.2007 às 16:33

Caro JV

você fez demagogia. E isso não é sério. No meu comentário ao referir-me ao despedimento dos jornalistas do DN não quis ir muito longe pensando que o senhor e seus companheiros do blogue entendessem que se trata de um assunto grave, político e de exclusão de quem sabe criticar o poder instalado quando incompetente e prepotente. O que afecta as pessoas é outro assunto e tem a ver com o que deve ser um jornal de referência, ou seja, apresentar os problemas das pessoas com seriedade e profundidade. JV misturou e lançou a poeira para os olhos.
Se acham que o despedimento de jornalistas, o desemprego, a prepotência, o conluio e compadrio com autarcas corruptos que recebem comissões dos anúncios publicados no jornal, a introdução de administradores em troca de favores anteriores a quem se encontra no poder não é matéria de discussão num blogue... então, tudo bem! Continuem a meter a cabeça na areia até serem todos despedidos.

PS -
1. Eu não merecia uma postagem no Corta-Fitas. Não sou assim tão importante, apenas uma professora. De qualquer modo obrigada pela deferência.
2. O senhor Pedro Correia não merece respeito. Só sabe ir a reboque dos outros posts e... do vento.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.02.2007 às 13:27

Ná....

Aqui comenta-se o Expresso, o Sol, o Público...

O DN, não...
Sem imagem de perfil

De Pedro Correia a 28.02.2007 às 12:54

Perfeito, João. Grande abraço.

Comentar post


Pág. 1/2



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    E golpes de Estado só o 28 de maio, não é?PP

  • Anónimo

    estatísticas do iné

  • Anónimo

    manuela eanes não diria melhor

  • Luís Lavoura

    Pode ser um dos atos mais anti-naturais do mundo, ...

  • Anónimo

    " a monstruosidade de abandonar o filho à morte nã...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D