Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O pior cego...

por João Távora, em 16.03.17

(...) Quando se fala de imigrantes, fala-se de pessoas, quando muito de famílias, e das suas dificuldades de “integração”. Mas em grandes números, com os meios de comunicação de hoje, as migrações formam comunidades que, muito humanamente, aspiram a manter as suas identidades e políticas de origem. É o caso da diáspora muçulmana do Médio Oriente e do Norte de África.

Por isso, os imigrantes muçulmanos não estão a integrar-se na Europa, mas a integrar a Europa no mundo de onde vieram, como a Holanda e a Alemanha perceberam quando, a semana passada, se viram transformadas em terreno da campanha eleitoral do ditador turco Erdogan. A maioria dos migrantes procura apenas uma vida melhor, incluindo os muçulmanos. Merecem uma oportunidade. Mas no caso da diáspora do Médio Oriente e do Norte de África, há muita gente, como os islamistas ou o novo sultão da Turquia, determinada em usar as migrações para acelerar o que julgam ser a crise de uma sociedade europeia em regressão populacional e confusão ideológica. Erdogan mantém de reserva dois milhões de “refugiados”, que ameaça largar sobre a Europa sempre que os europeus o incomodam. São as suas armas de destruição demográfica. As migrações, deste ponto de vista, já não são uma simples questão de arranjar empregos, escolas e apartamentos para quem chega. São um problema político, e não basta falar de “islamofobia” para o resolver. (...)

 

Rui Ramos a ler na integra aqui. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



4 comentários

Sem imagem de perfil

De jo a 16.03.2017 às 19:23

"As migrações, deste ponto de vista, já não são uma simples questão de arranjar empregos, escolas e apartamentos para quem chega. São um problema político, e não basta falar de “islamofobia” para o resolver"


Também não basta dizer que é um problema de islamismo. É uma migração causada pelas guerras e falta de desenvolvimento económico e há migrantes não islâmicos.


Claro que reduzir tudo ao choque de civilizações ajuda a esconder que parte dos problemas não têm nada a ver com isso. Quem ouve esta gente pensa que foi o Iraque que invadiu o ocidente com exército e aviação, para poder utilizar o petróleo de outros. Chegou a haver tabelas de preços para as empresas que iam "reconstruir o Iraque libertado".


Grande parte do desconforto na Europa vem da estagnação e da cada vez maior desigualdade económica. Não foram os imigrantes que geriram a crise da dívida com os pés, nem foram eles que aumentaram exponencialmente a parte do 1% em detrimento do resto da sociedade. Mas são os emigrantes os prefeitos bodes expiatórios.


Os primeiros anos do século XXI estão cada vez mais parecidos com o pós Primeira Guerra Mundial. Já nem faltam os esclarecidos a dizerem que a culpa é dos outros e que é preciso colocá-los em campos de concentração. Vivemos tempos muito perigosos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.03.2017 às 10:48

A comunicação social establecida já não consegue esconder a realidade criando uma inexistente ficção no que concerne a invasão islâmica.

O partido mais votado nas eleições holandesas acabou por propagandear e executar !, nos últimos dias os temas nacionalistas da extrema direita. Ganhou votos com esse volte-face. Esta mesma transferência de temas, dos partidos nacionalistas para os do centro, já aparece na França e na Alemanhã. Afinal é preciso ganhar eleições a qualquer preço.

Grande parte da comunicação social dita da cultura do Ocidente -europeia e norte americana- ainda não está a divulgar correctamente a invasão cultural islâmica em curso. A quem interessa esta perigosa mentira?.

Consequentemente parte da opiniãos pública ainda tem uma visão incorrecta do que realmente se passa com esta invasão islâmica. Divulgar que ela é um fenómeno espontâneo, benigno !, nascido no seio de essas populações é doentio.

Porque será que ainda hoje, perante os factos, tantos jornalistas, comentadores e políticos defendem uma tão distorcida visão de esta perigosa realidade?. Que ocultos interesses a explicam.
Não é só o medo das carnificinas tipo Hebdo, certamente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.03.2017 às 11:43

"Afinal é preciso ganhar eleições a qualquer preço"



E você é excelente nisso. 
Sem imagem de perfil

De Lutz Brückelmann a 18.03.2017 às 09:42

Vergonhoso o uso de aspas no "refugiados" de Rui Ramos.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Vasco Lobo Xavier

    Agradeço por corroborar o meu ponto. Ainda não aca...

  • Vasco Lobo Xavier

    Informe-se primeiro sobre a realidade que discute....

  • Vasco Lobo Xavier

    Este anónimo deve ser funcionário público, com ord...

  • Anónimo

    (1) 27 mil euros por ano é de facto uma fortuna, p...

  • Anónimo

    Eu acho que o país devia mobilizar-se em protesto ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D