Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




"Maltratar e humilhar os Portugueses"

por henrique pereira dos santos, em 16.06.17

O Governo anterior tem vindo a ser reconhecido, muito a custo, como um governo razoável, tal como o programa de ajustamento tem vindo a ser reconhecido como tendo sido útil.

O défice externo (a fonte de todos os problemas) desapareceu desde o meio do programa de ajustamento, a melhoria dos indicadores do emprego e desemprego (o principal custo social do programa de ajustamento) tem vindo a ser reconhecida como influenciada pelas reformas feitas sob os auspícios da troica (e que o actual governo não se tem atrevido a reverter), as condições de financiamento do Estado português (a corda que partiu e levou ao pedido de ajuda) estão em condições razoáveis porque o actual governo tem demonstrado que na prática vai prosseguir as políticas do governo anterior e do programa de ajustamento e a famosa devastação social afinal não existiu e os problemas sociais decorrentes do desemprego foram sendo geridos e começaram a ser revertidos já em 2013 (em especial na medida em que o desemprego começou a descer).

Mas na actual maioria há uma linha de comunicação política absolutamente clara: nunca, em tempo algum, se pode reconhecer que afinal não era verdade o que foi dito ao longo deste tempo todo sobre o governo anterior, porque essa é a única base em que assenta o governo e a maioria conjuntural que o apoia.

É por isso que mesmo sabendo a figura ridícula que resulta desta opção (já nem falo de João Galamba a dizer que outro partido qualquer se tornou num partido estruturalmente aldrabão), Centeno não se coíbe de querer convencer-nos de que quando Schauble diz que "o programa de assistência português “é uma história de sucesso”"quer na realidade dizer que "se conseguiu mais neste ano e meio (que nos anteriores), em particular na credibilidade".

Que a actual maioria continue com este discurso sem que a imprensa questione seriamente este tipo de afirmações absurdas, mas que se repetem mecanicamente, só demonstra o estado deplorável da discussão de políticas públicas que existe.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Morreram incineradas 47 pessoas numa estrada reple...

  • Vasco Mina

    Amigo João,obviamente não é o ponto relevante. A r...

  • Carneiro

    Convida-se "este" à demissão porque é o candidato ...

  • Renato

    O provedor?... Eu não chego a perceber  se os...

  • xico

    Se o provedor da santa casa deve demitir-se p...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D