Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Faz mal, Senhor Presidente

por henrique pereira dos santos, em 31.08.17

"Em janeiro vai entrar em vigor um novo diploma sobre a rotulagem que permite identificar o leite português e ao mesmo tempo eu próprio estarei a patrocinar uma grande campanha de apoio ao leite e ao leite produzido em Portugal. É muito importante para as crianças, jovens e para todos os setores da sociedade portuguesa”, disse Marcelo Rebelo de Sousa."

Se o Senhor Presidente tivesse parado no momento em que fala do apoio ao leite português, teria mais razão de ser a sua participação numa campanha, embora não se percebesse por que razão não participaria numa campanha de apoio ao tomate português, à pera rocha portuguesa, ao azeite português, ao eucalipto português, aos lápis de cor portugueses, aos restaurantes portugueses, ou a qualquer outro sector económico português.

Mas o Senhor Presidente entende que deve apoiar a produção de leite em si mesma, argumentado que é muito importante para as crianças, jovens e para todos os sectores da sociedade.

Confesso que não entendo como em 2017 ainda se usa esta argumentação para apoiar a produção intensiva de animais, uma das mais insustentáveis actividades económicas que existem, com consumos de água e energia brutais e com impactos ambientais a jusante, nomeadamente nos solos e nas águas, que representam um custo brutal para a sociedade.

Note-se que a evolução das rodas de alimentos e das pirâmides alimentares recomendadas têm vindo a reduzir drasticamente o incentivo ao consumo de leite, mesmo das crianças. Aos jovens não faz falta nenhuma, podem beber leite, como eu bebo, porque gosto, mas não há nada de intrinsecamente bom para a saúde no consumo de leite por jovens e adultos, bem pelo contrário, quando o consumo não é limitado ("It recommends limiting milk and dairy to one to two servings per day, since high intakes are associated with increased risk of prostate cancer and possibly ovarian cancer").

Por isso, Senhor Presidente, tenho uma sugestão a fazer-lhe: deixe os produtores de leite a competir no mercado, deixe-me a mim, consumidor, premiar, ou não, os seus esforços para aumentar a sua sustentabilidade, deixe-me a mim, consumidor, decidir a quantidade de leite que me pareça adequado consumir, deixe-me a mim, consumidor, premiar os produtores que optem pela produção extensiva.

Se acha mesmo que deve entrar em campanhas para apoiar produtores portugueses, acho que seria bom ter todo o seu peso institucional a apoiar produtores portugueses que, para além dos produtos que apresentam no mercado, produzem também bens difusos socialmente úteis.

Tem agora uma oportunidade de ouro: entre, ou promova mesmo, uma campanha para desviar os apoios públicos à produção de bens e serviços de mercado para o apoio ao pagamento de serviços de ecossistema, como a gestão dos fogos, por exemplo.

Não vale muito a pena fazer platónicas declarações de amor aos que resistem a viver imersos em barris de pólvora criados pela falta de gestão e de competitividade das fileiras económicas que podem gerir o risco de fogo e, à primeira oportunidade, abandoná-los para concentrar apoios públicos em fileiras que têm mercado e que produzem externalidades negativas da dimensão das que são produzidas pela produção intensiva de gado.

Pense duas vezes, Senhor Presidente, os produtores de biodiversidade, os reguladores dos ciclos de nutrientes e da água, os gestores de paisagens ricas e diversas precisam bem mais de si que os produtores de leite.

Autoria e outros dados (tags, etc)



4 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 01.09.2017 às 17:52

deixe-me a mim, consumidor, premiar os produtores que optem pela produção extensiva

Que produtores conhece o HPS que optem pela produção extensiva?

Que eu saiba, produção extensiva de leite haverá, em Portugal, na melhor das hipóteses, nos Açores. (Mesmo aí, creio que a produção extensiva será mais de carne do que de leite.)
Imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 02.09.2017 às 22:04


Seja onde for, a questão é deixar ao mercado a existência, ou não, de produtores extensivos de leite, em vez de interferir no mercado sem ser por razões que se prendam com falhas de mercado claramente identificadas.
Sem imagem de perfil

De António Santos a 01.09.2017 às 20:12

Sobre as qualidades do leite não me prenuncio. Mas de facto. Vejamos. A minha Câmara Municipal apoia os cabeleireiros no custo da água. Seja em que lugar for. Tenha muitos ou poucos clientes. Mas não apoia da mesma maneira a minha empresa que tem animais e que consomem mais água que um humano e que por isso é ainda por cima penalizado porque passa o escalão. Mas a empresa situa-se (apesar de a 60 km de Lisboa) no "interior", onde não há gente, empregos e oferta de outros serviços que os cabeleireiros têm. Eu gasto tempo e dinheiro a limpar o espaço. Não recebo um cêntimo para os incêndios que aqui não existem. Mas quem não limpou e lhe ardeu o lugar, além de apoios directos ainda lhe pagam os bombeiros,os meios aéreos e outros serviços.
 
Sem imagem de perfil

De zazie a 02.09.2017 às 15:25

Isso do leite é lobby vegan.
Em prol da indústira mamária da soja americana. 

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Meus caros senhores João Távora e José Manuel Fern...

  • Anónimo

    Estou verdadeiramente estupefacto, sobretudo com o...

  • tá bem deixa

    Que chatice, nunca mais há greves das fidalguias m...

  • henrique pereira dos santos

    1) Nunca um concurso na função pública impediu a c...

  • Anónimo

    Essa empresa vai vender terrenos. Quem o disse foi...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D