Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Bem visto

por Francisco Almeida Leite, em 14.08.06
É óbvio que há nuances entre o que pensa o ministro dos Negócios Estrangeiros, o primeiro a lançar a lebre, o ministro da Defesa, que reforçou e muito o que disse o seu colega de Governo, e o que pensa o supremo magistrado da Nação. Que é também, parece que o Executivo se tem esquecido disso, o comandante supremo das Forças Armadas. Quando um Presidente diz que "é extemporâneo" falar-se neste momento no envio de tropas portuguesas para o Líbano e há dois responsáveis do Governo que não falam noutra coisa, está tudo dito. O que é ainda mais curioso é que quem põe água na fervura, passe a expressão, é o Presidente da República. Quando diz isto: "Como aliás o senhor ministro dos Negócios já teve ocasião de dizer, se essa questão nos for colocada, então será analisada, como tem acontecido com outras solicitações que nos chegam de organizações internacionais de que Portugal faz parte. Mas neste momento é extemporâneo estar já a falar sobre o assunto".
Algumas reflexões: 1) Se a questão nos for colocada, diz Cavaco. Ou seja, o PR não quer ficar fora da decisão, isso é claro como água. 2) Ao dizer que é extemporâneo, o PR diz não só que é cedo como diz que é preciso ter calma na forma como a questão é colocada. 3) Caso muitos não se lembrem, o Governo tem a responsabilidade da condução da política externa, mas é uma responsabilidade que pode ser partilhada com o PR, que não se limita assim a receber as credenciais dos embaixadores, a ir a recepções e a fazer umas viagens. Isso é o que consta da Constituição e o que decorre da prática das relações institucionais entre Governo e Presidente, quando se quer que as ditas relações sejam de cooperação. Caso contrário, é ir à história recente e lembrar casos como Sampaio-Cimeira dos Açores ou Soares-Acordos de Bicesse.

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.08.2006 às 11:34

O ministro dos Negócios? Dos Negócios são os ministros TODINHOS, calha bem.
Sem imagem de perfil

De João Távora a 14.08.2006 às 19:49

Definitivamente Cavaco não será um mero Corta Fitas (Não desfazendo, é claro!).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.08.2006 às 17:03

O governo não tem razão de queixa: muito pior (para ele) seria se em Belém estivessem Manuel Alegre ou Mário Soares. É a vida...

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D