Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vem aí outro "centenário"

por João-Afonso Machado, em 18.01.13

O PCP vai comemorar grandiosamente o centenário do nascimento do seu inigualável líder Álvaro Cunhal. Nada que nos deva admirar, conhecidos que são os costumes comunistas de mumificar os seus heróis. A festa é para eles e ninguém lhes retira o direito de nela participar longe de quaisquer  perturbações, dessas muitas que constam da habitual panóplia de esquemas com que a Esquerda gosta de interferir nas iniciativas que não lhe são simpáticas.

Ainda assim, ficam-nos nos olhos imagens confrangedoras, inexplicáveis. Como, por exemplo, a da fotografia de Cunhal abraçando a mãe de Catarina Eufémia, em pleno cemitério de Baleizão, em emocionada expressão prestes a verter lágrimas.

Que à sua volta se urrasse a plenos pulmões e de punho ameaçadoramente erguido - «morte aos fascistas!», não estranha. "Eles" não sabiam, "eles", alentejanos nunca saídos do Alentejo, limitaram-se a acreditar  - como muita outra boa gente - na patranha. Mas Cunhal sabia.

Cunhal, nascido em 1913, acompanhou todo o mortífero percurso de Estaline. Conheceu, in loco, a sua imensa capacidade de aniquilar. Não podia ignorar a gelada eficácia do KGB: décadas e décadas de gelada eficácia do KGB. E o quilométrico rol de balas assassinas com que se inscreveram os seus agentes na História.

Sendo assim, qual a sua autoridade moral para se pronunciar acerca dos excessos da nossa GNR?

Quantas Catarinas Eufémias eslavas (e inconformadas, também) não terá desprezado durante a sua estadia na URSS? Justificando homicidios atrás de homicidios, decerto, com o rótulo de "reaccionários" atado ao dedo do pé das vítimas...

Ninguém sente, em todo este processo, um cheiro imenso à mais revoltante impunidade?

Autoria e outros dados (tags, etc)



14 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.01.2013 às 15:18

"Ninguém sente, em todo este processo, um cheiro imenso à mais revoltante impunidade?!
Não.


"Cunhal, nascido em 1913, acompanhou todo o mortífero percurso de Estaline. Conheceu, in loco,"
Bom... acompanhou onde? Nos diário de lisboa?
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 18.01.2013 às 16:37

Acompanhou na URSS onde esteve por diversas vezes. Leia, pf a biografia politica de AC escrita por pacheco Pereira.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.01.2013 às 17:17

Leia você a biografia... recorde-se que Stalin morreu em 53, que a Russia é um bocadinho maior que a beira baixa, e que Moscovo era um bocadinho maior que Lisboa, e se calhar bastante asseptica!
Ms para a demagogia tudo vale, não é verdade?
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 18.01.2013 às 19:15

Então quando Stalin morreu, Cunhal tinha 40 anos...
E já passeara pela URSS.
Que não me interessa nada se é do tamanho do Rossio ou da Betesga.
Nem me interessa decifrar o seu indecifravel comentário.
Porque o que é é. Cunhal sabia o que era o estalinismo e toda a vida foi estalinista.
Sem imagem de perfil

De jo a 18.01.2013 às 16:15


A existência de crimes do KGB não impede a consideração da existência de outros crimes.

Ou então entramos no discurso que diz que os crimes da KGB são desculpáveis porque o dr das botas mandava a GNR disparar sobre camponeses desarmados.
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 18.01.2013 às 16:35

Ninguém está aqui a desculpar os crimes seja quem de for.
Está-se apenas a comentar como pode Cunhal indignar-se com um assassinato no Alentejo, ele que sabia de tantos na URSS.
Imagem de perfil

De João Távora a 18.01.2013 às 17:16

Muito bem João. Não me comove nadinha o sinistro personagem. De resto, ao contrário daquilo que alguns dos seus adversários  reconhecem como qualidade, a sua persistência,  sendo no erro, é no meu entendimento uma trágica deformidade. 
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 18.01.2013 às 19:16

Como se consegue distorcer o sentido de um texto, não é???
Sem imagem de perfil

De murphy a 18.01.2013 às 17:45

Neste capítulo, até por ser mais contemporâneo, recordo o apoio de Cunhal à invasão de Praga... Salazar, ao lado de Cunhal, era um menino...
http://jornalismoassim.blogspot.pt/2012/12/filhos-e-enteados-da-comunicacao-social.html
Sem imagem de perfil

De A. R a 18.01.2013 às 18:21

Para um comuna a Catarina Eufémia é uma vítima cuja vida valia mais que a dos 17 mortos pelas FP-25. A tal história da estatística e da luta revolucionária.
Sem imagem de perfil

De David a 18.01.2013 às 19:37

Ha por ai tantos centenarios e comemoracoes. Deixe de se preocupar com os outros e preocupe-se com os seus. Este e o mal de muita gente. Sempre a olhar para os outros... Duvido que o dito senhor lhe tenha alguma vez feito mal. Morreu, esta morto, se outros querem recordar, qual e o mal? 

Saudacoes cordiais 
David
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 18.01.2013 às 20:02

David: tento não me preocupar com nada. E não confundir o "sempre a olhar para os outros" com a valia de ter opiniões sobre os assuntos que as merecem.
Aliás, se querem recordar - recordem é um direito que lhes assiste, como comecei logo por escrever. Não reparou?
Saudações cordiais, também.
Sem imagem de perfil

De Juromenha a 18.01.2013 às 22:56


Um Quisling portugês, eis tudo.
Sem imagem de perfil

De Lurdes G Pereira a 20.01.2013 às 07:46

Joao Afonso, o seu apontamento traz-nos uma questao por demais pertinente, mais q obvia, q ocorre a qualquer pessoa " com dois dedos de testa", nem é preciso perceber muito de politica:  que moral têm os comunistas ( os de plena consciência, atençao, q sao poucos, muito poucos ) para condenar, reagir, vociferar, atacar, difamar, etc etc, a forma de actuar da autoridade no Estado Novo??? Como podem ser tao hipocritas ao ponto de chorar por uma Catarina Eufémia q  foi morta durante o regime de Salazar  quando sabemos da realidade monstruosa em factos e numeros q se passou no regime estalinista, realidade esta q eles simultaneamente proclamam como ideal??? como? Sendo de facto o Salazar um "menino de coro" ao pé do execràvel Estaline!
Claro q nao têm contra-argumentos para o obvio, e depois tentam contornar alegando aspectos irrelevantes como essa de o AC nao ter supostamente assistido ao genocidio estalinista "in loco"......  Quanto a mim a resposta so pode residir  nisto: os comunistas estao-se borrifando para Catarinas Eufémias, e pura e simplesmente se aproveitam dela como arma politica de ataque a Salazar, explorando ignobilmente o caso, projectando-o para o seu mundinho de oposiçao com uma dimensao absolutamente irreal porque descontextualizada.
Catarina foi um mero acidente perfeitamente justificàvel  num quadro politico q, moralmente, em nada se compara com o de Estaline. Para jà, é o NOSSO quadro politico, o qual como ia contra os ideais marxistas-leninistas completamente incompativeis e perfeitamente indesejàveis ao programa q Salazar havia delineado para Portugal fundamentado no lema " Deus , Pàtria e Familia", claro q as "viboras" tinham de rabear... jà q seguiam maquinalmente as ordens da sua verdadeira pàtria, a Soviética e os interesses desta e da sua doutrina perversa.
Quanto, à comemoraçao deles, pois jà q estao sempre tao "preocupados" com os trabalhadores, os operàrios, pq nao aplicam eles antes o dinheirao todo ajudando quem precisa ao invés de comemorar um traidor q nunca devia ter nascido?

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Tiro ao Alvo

    Aqui está um bom exemplo do mau patrão, que se com...

  • Anónimo

    Quando um governo e ministro da pasta estão-se cag...

  • Anónimo

    Penso que foi nesta notícia que um dos canais apre...

  • jo

    Alguém que pode provar que os seus ascendentes par...

  • Anónimo

    A questão é: depois de tantos anos, o que justific...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D