Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Baptistas da Silva aos molhos

por João Távora, em 30.12.12

 

 

De passagem pelo Jornal da Noite da TVI deparo-me com a enésima reportagem a explorar à saciedade o filão Baptista da Silva onde se evita uma vez mais substância: as suas teses que tanto excitaram a nossa “gente limpa”. De resto há por aí bastantes doutorados e licenciados com curriculum académico e atestado partidário, que do pondo de vista substantivo se limitam a explorar a conveniente narrativa “não pagamos” do burlão. Estes dias de obscura desesperança favorecem a emergência de Baptistas da Silva que afinal por aí pululam em absoluta impunidade. E já agora porque não deixam o outro, o de imitação, em paz?

Autoria e outros dados (tags, etc)



2 comentários

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 31.12.2012 às 09:33

Tal como deixei no post do samuel, aqui fica a minha opinião acerca do assunto:
Compreendo esta fadiga acerca do assunto Baptista, mas pelo contrário, creio ser salutar o relembrar dos factos, até porque ainda há quem os tente mitigar, dada a "justeza do seu posicionamento". Justeza, que justeza? Aquilo que o homem pretendeu defender a todo o transe, nada mais foi senão a manutenção das práticas e da gente do sistema que conduziu Portugal ao estado em que estamos. 
Abstraindo-nos completamente da grotesca burla, o discurso é antigo e conhecido, nada de novo trouxe ao debate político e apenas surgiu como oportunidade de um prolongado ataque ao governo que saiu das últimas eleições. Pois é isso mesmo que está em causa, goste-se ou não se goste dos elementos que o formam ou da política que pratica. Em Portugal é proibido a chamada direita estar no poder e conhecendo-se a história deste regime,  tudo se resume a isso. 
Entretanto, os burlões continuam a dizer o que bem lhes apetece, constroem grupos de opinião e de influência, alguns vivem no estrangeiro e visitam-nos de vez em quando. A burla apaga-se com uma travessia num deserto pejado de casos e amigos, preparando-se um regresso. Não será demais surgir uma melhor informação acerca de certos "baptistérios" onde se abençoam todo o tipo de dislates que infelizmente normalizam a nossa política ao nível que se sabe. Onde estão as indignadas vozes dos Soares, Oliveiras, Louçãs e de tantos outros sempre lestos a apontarem os dedos e a berrarem Crime?!
Neste caso, Samuel, nem o João Távora ou tu próprio estão a ver bem o problema. Mesmo com a máxima publicidade ao assunto, creio que não será de molde a impedir aventureiros do mesmo recorte, pois soldados da fortuna são a imagem de marca do regime. Já agora, quantos Baptistas foram condecorados e desempenharam funções no Estado, por vezes as mais relevantes? Por outro lado, embora não tenha grandes ilusões quanto à possibilidade, aqui está um caso que nos poderá dizer muito acerca daquilo que tem sido a imprensa em Portugal e não me admiraria muito se entrassem em erupção outros tantos vulcões Baptista e por sinal, alguns bem famosos. Veremos."
Imagem de perfil

De João Távora a 31.12.2012 às 20:06


Do teu comentário não encontro onde  haja discordância ou incompatibilidade com a minha posta. Repara que eu apenas reclamo a perspectiva sob a qual é utilizado o adjectivo "burlão". A reportagem  referida, chegou ao cúmulo de referenciar as clássicas burlas da venda do Eléctrico 28 ou do Terreiro do Paço ao desprevenido pacóvio chegado da província. A questão menos significativa "de facto" é a do curriculum aldrabado. 
Pretendia eu reclamar que a burla que por aí circula impunemente é outra, impingida pela nossa gente "gente limpa", fazendo de conta que não vislumbra o fundo raspado to tacho. 


Bom ano para ti, Nuno. 

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • henrique pereira dos santos

    Leia melhor o post, o que o post diz é que exactam...

  • Anónimo

    Não sei quando e de que forma é que Sócrates compr...

  • jo

    Pelo menos há algum escrutínio.Há governos que se ...

  • O SÁTIRO

    se estivermos atentos ás amizades ...que incluem o...

  • O SÁTIRO

    esse vieira quer dar em cómico, mas não pega...alg...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D