Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tolkien no cinema

por Luísa Correia, em 26.12.12

Li o "Hobbit" e "O Senhor dos Anéis" nos primórdios da minha juventude. Reli-os, com o mesmo entusiasmo, uns anos depois - numa edição inglesa, de "luxo", que me custou um vigésimo da trivialíssima tradução portuguesa - aquando da estreia de "A Irmandade do Anel", primeiro filme da triologia de Peter Jackson. Creio que foi pela familiaridade que já tinha com a "epopeia" inspiradora, verdadeira obra de culto de quem aprecia, na literatura, uma grande história mais do que um belo estilo, que gostei da adaptação cinematográfica - um pouco como quem prefere ouvir, em concerto, composições que conhece e vai trauteando em surdina a novos lançamentos. Mas mesmo tendo gostado, reconheci no trabalho de Peter Jackson aspectos de realização que me franjam os nervos de cada vez que acontece deparar-me com uma (re)exibição televisiva. Ninguém sabia quem era Peter Jackson antes da sua abordagem a Tolkien. Ousou fazê-la e colheu os frutos (compensadores!) da sua ousadia. Mas Peter Jackson era então um novato, e não resistiu à tentação de explorar, até ao tutano, o dramatismo dos momentos. O que redundou no que me parece pouco menos do que um espectáculo de carpideiras. A emotividade extremada das cenas (ressalvadas as de pura acção ou de guerra), expressa em morosos lamentos e declamações, em olhares e sorrisos parados e insondáveis, à Gioconda, em câmaras lentíssimas nos instantes de risco ou tragédia, e, em suma, numa confrangedora falta de naturalidade, é muito enjoativa. E o pior é que Jackson, no tempo que lhe tomou a triologia, evoluiu de novato para novato, e nunca corrigiu a trajectória da sua lamecha direcção de actores. Aí estão "As Duas Torres" e, sobretudo, "O Regresso do Rei" a comprová-lo. O sentimentalismo não terá sido, portanto, um erro de inexperiente, mas algo que tem entranhado na massa do sangue. Sucede que, para mim, é como diz Auberon Waugh: "Sentimentality is the exact measure of a person’s inability to experience genuine feeling." E quem não sente verdadeiramente, conseguirá ser mais do que fingidor e artificial? E agora, que faço eu - já tão enjoada nesta quadra pantagruélica - em relação ao recém-estreado "Hobbit"? Vejo? Não vejo? Espero pelo DVD?

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Imagem de perfil

De José Mendonça da Cruz a 28.12.2012 às 14:26

Obviamente, Luísa,espere 3 anos e compre os DVD. E não releve o abuso de fazer do livro «O Hobbit» três filmes para melhor nos explorar.
Imagem de perfil

De Luísa Correia a 28.12.2012 às 19:13

Tem razão, José, ainda há mais essa. Um escândalo!!!
Sem imagem de perfil

De rawckee a 29.12.2012 às 08:51

deixe-me dizer-lhe que haviua muuita gente que sabia bem quem era peter jackson antes destes filmes todos.

ps: leio o resto do artigo depois

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Terry Malloy

    Não insista, amigo.O Sr. Doutor não está interessa...

  • Anónimo

    Ó santinhos, mas vocês nunca ouviram uma mulher a ...

  • Anónimo

    Você é lisboeta, não é? 😉 São finas. Faz-lhe falta...

  • marina

    até sou e sempre me ensinaram que a indiferença pe...

  • Francisco Seixas da Costa

    Agradeço a sua atenção, mas há aqui um ligeiro equ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D