Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Da consciência

por João Távora, em 21.12.12

A ideia protestante de que cada um sabe governar a sua vida por si (pessoas e instituições), à revelia da comunidade e da tradição, resultou no quadro económico que temos agora. É preciso voltar a chamar a tradição - o mesmo é dizer, o catolicismo - para sairmos daqui e encontrarmos um novo caminho.

Autoria e outros dados (tags, etc)



6 comentários

Sem imagem de perfil

De fty a 21.12.2012 às 14:51

Caro João Távora, Pode-se governar a vida por si mesmo sem ser à revelia da comunidade e da tradição...
Quanto ao "quadro económico que temos agora", os países que estão pior parecem ser os católicos... Isto para não falar já de que houve sempre actividade económica fora do mundo católico e ocidental e que tinha vários modelos.
Por outro lado a tradição em si, pode ser boa ou má. Se há bons valores e tradições católicos a restaurar, com certeza, restaurem-se.
Um Santo Natal para si e todos os seus.
Imagem de perfil

De João Távora a 21.12.2012 às 15:43

No meio urbano em que eu vivo, mal se reconhece a cultura católica, é mais Pai Natal e Dia das Bruxas. O sentido de comunidade é muito frágil. Conseguimos somar pior dos dois mundos. 
Um Santo Natal também para si e para os seus FTY.


Sem imagem de perfil

De fty a 21.12.2012 às 21:40

Pensei que falava do mundo actual e afinal fala de Lisboa e da linha!
Estará a pacata e provinciana Lisboa tão sobo o domínio do politicamente correcto que tenta a descristianização, como diz?  Acho Lisboa apenas triste, sem gente, lojas fechadas, bons hábitos perdidos.
Se é isso, estou de acordo consigo e acredito nesse pior de dois mundos. Será preciso reagir, e com energia.
(Aqui entre nós, a hierarquia da Igreja Portuguesa também não ajuda muito: que Deus a ilumine e que o Santo Padre a corrija).
Santo Natal.
Sem imagem de perfil

De l.rodrigues a 21.12.2012 às 14:57

Sempre achei piada a esta concepção de uma ideia política e económica que só "funciona" na redenção da religião... 
Ora porque, como aqui se diz, o individualismo tem que ter freios sociais que só o catolicismo lhe empresta, ora porque, numa visão mais lata, se pode diferir a felicidade para outro reino, e portanto as desigualdades e misérias causadas pela política e economia "no curto prazo" se tornam irrelevantes. Nunca me esqueço de ter ouvido há anos o dr. César das NEves, ainda eu não sabia quem ele era, na televisão a dizer que o capitalismo era uma coisa nova e que isto só daqui a 500 anos é ia ao sítio... os males eram dores de crescimento.
Imagem de perfil

De João Távora a 21.12.2012 às 15:47

Caro Luís: não confundamos capitalismo com liberalismo. O capitalismo é para mim uma consequência da sacrossanto livre arbítrio, e não é mau per se.
Votos de Feliz Natal.
Sem imagem de perfil

De l.rodrigues a 21.12.2012 às 16:12

Obrigado. Para si, um Santo Natal, que sei que é assim que o deseja. 
O livre arbítrio tem as costas largas. Ou nao fosse o alibi de Deus :). Mas deixo isso para outra quadra.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O SÁTIRO

    a extrema esquerda....pois é isso que são PCP..BE ...

  • xico

    Um texto que me causa alguma perplexidade.

  • Anónimo

    O Salazar morreu como um sem abrigo?HAHAHA Eu nunc...

  • Renato

    "opções de gestão"? Mas não é o próprio Henrique q...

  • Manuel Moço

    Ele nunca deixou de ter razão. É das pessoas mais ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D