Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Isabel Jonet, São Paulo e a caridade

por Maria Teixeira Alves, em 11.12.12

A propósito do conceito de caridade usado por Isabel Jonet, na entrevista ao ionline, que remeteu para a definição de São Paulo "Na acepção de São Paulo Caridade é Amor". Deixo aqui uma das cartas de São Paulo, mais poéticas de toda a Bíblia:

Epístola de São Paulo aos Corínthios:

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da

 profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse Amor, nada disso me aproveitaria. O Amor é paciente, é benigno; o Amor não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. O Amor nunca falha. Havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o Amor".

A caridade como sinónimo de amor é absolutamente bela. Amor pressupõe sempre uma situação de respeito de igual para igual. Caridade não pode ser vista como um acto paternalista que expurga culpas de bem estar,  não pode ser vista como um conceito inerente a uma atitude de superioridade. Não me parece que tenha sido este o conceito de Isabel Jonet.

Autoria e outros dados (tags, etc)



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Nem Por Isso a 11.12.2012 às 17:52

Eu acho que Isabel Jonet não devia apostar em protagonismo mediático, salvo na estrita divulgação do que faz o BACF, mas ela lá saberá.
Sem imagem de perfil

De luradogrilo a 11.12.2012 às 19:52

S. Paulo era um iluminado: um discurso fácil por um lado e difícil por outro. Um espelhar de toda a sua fé imaculada
Sem imagem de perfil

De C a 13.12.2012 às 16:15


S. Paulo não identifica caridade com amor. S. Paulo simplesmente usa uma palavra grega - agape - que tanto se traduz por caridade como por amor, o que significa que não faz nenhuma associação entre as duas ideias: não é S. Paulo que as junta, é a sociedade moderna que as separa.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    lord Byron: This age of cant («estos tiempos de h...

  • Luís Lavoura

    A esmagadora maioria destas queimadas são totalmen...

  • Anónimo

    Pastorícia, segundo parece, não entendi ainda muit...

  • Anónimo

    É tudo muito bonito, mas apresentem soluções alter...

  • aespumadosdias

    Tantos criticam o Homem mas nenhum se chega à fren...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D