Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Casas de Portugal

por João-Afonso Machado, em 20.11.12

Quando estudante em Lisboa, em outro milénio, era a Casa do Minho, a noite de S. Martinho, muitas castanhas e água-pé. E os amigos, os primos, os parentes, gente de Ponte de Lima, da Barca, de Guimarães, de Braga, um abraço enorme sempre carregado de saudade da nossa terra. Quase como se fosse cá, entre castanholas e concertinas. Uma festa, uma emoção enorme, uma desgraça...

Não vai muito tempo descobri em Lisboa a Casa dos Arcos de Valdevez, vizinha da Sé. Saltei os muitos lanços de escadas, rapaziada minha, saia uma malga de tinto, - mas... os arcoenses lisbonados dormiam ainda!

Depois fui descobrindo outros nichos de identidades que se querem perdurando. Convergindo contra a maré dispersora das grandes metrópoles. A derradeira foi a Casa da Comarca da Sertã, bocado de terra portuguesa, bem portuguesa, encravada a meio caminho do território continental, onde o xisto ainda espreita por cima o cimento e o mau-gosto. E onde fui recebido de braços abertos.

Tratava-se de apresentar um livro meu. É certo, tenho raízes familiares nesse canto felizmente esquecido da multidão - e infelizmente esquecido dos portugueses que gostam, estimam e preservam Portugal. Mas, facto é, logo no primeiro instante senti-me em casa. Rodeado pelos meus. E assim não podia calar a percepção de essas - às vezes - despercebidas entidades onde no mundo das massas se reencontra a essência de cada percurso, cada destino.

Como, à margem do signo da incognitude, não saborear a proximidade dos nossos - de tudo o que é nosso: os familiares, os parceiros, os sabores, mesmo os aromas em que nascemos, crescemos e já precisamos para viver?

Autoria e outros dados (tags, etc)



11 comentários

Sem imagem de perfil

De Nãavejo a 20.11.2012 às 16:50

E a dos altos altos, que é dela?
Sem imagem de perfil

De Saltos a 21.11.2012 às 13:09

A dos Saltos altos...
Sem imagem de perfil

De Onde Já Se viu a 20.11.2012 às 17:48

Na Casa da Comarca da Sertã bebe-se água Vitalis?!
Sem imagem de perfil

De Ó linda terra da Sertã. a 21.11.2012 às 10:19

"felizmente esquecido da multidão - e infelizmente esquecido dos portugueses que gostam, estimam e preservam Portugal"
Quer dizer, senhor doutor, a Sertã é para ser vista ao longe, em lindas estampas afixadas nas paredes da casa da Comarca da Sertã. Se lá for muita gente, perde o seu encanto bucólico e castiço. Eu, como natural de Cernache do Bonjardim, fico muito sensibilizado ;)
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 21.11.2012 às 11:14


Acha mesmo que foi isso que eu quis dizer?
Como prefere Cernache do Bomjardim: visitado por pessoas que gostam estima e preservam Portugal ou por uma multidão a deixar papeis no chão por toda a parte?
Sem imagem de perfil

De António a 21.11.2012 às 11:42

O João Afonso Machado não tinha falado em lixo. Estas terras do interior precisam mesmo de multidões, é assim que se dinamiza o comércio e se dá vida ás terras. Não de meia dúzia de lisboetas que vêm apreciar o património, isso sempre teve. São os mesmos que quando se ouve falar em estradas para o interior, reclamam contra a politica do betão. É preciso que se perceba de vez que o interior do país não é uma reserva de património etnográfico e paisagístico e  que a malta não vive só de fazer bucho recheado.
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 21.11.2012 às 12:32


Mas sabe que a multidão, por defenição, é sempre incontrolável ou quase. É barulho, lixo, incómodo, algazarra. Multidão não quer dizer muita gente.
Por outro lado, as pessoas que apreciam o Interior não têm necessáriamente de ser de Lx. aliás o meu caso.
POr isso, o desejável é muita - muitissima gente - dinamizando todas as actividades comerciais das terras, deixando lá o seu dinheirinho, mas sem estragar nem perturbar.
Até porque senão há uns que não regressam por causa dos outros...
Até lhe digo: aqui de cima, já estou apontado à Pampilhosa da Serra. Há lá muitom que me interessa conhecer.
Sem imagem de perfil

De Blondewithaphd a 21.11.2012 às 11:21


Pois parabéns, então!
Imagem de perfil

De João-Afonso Machado a 21.11.2012 às 12:33

Obrigado.
Conseguiu o autógrafo?
Sem imagem de perfil

De António a 21.11.2012 às 11:53

A malta da Casa da Comarca da Sertã que diga mas é alguma coisa aí em Lisbos sobre a falta de médicos na extensão de saúde de Cernache e tanta outra coisa que aqui falta. Essas casas não podem ser só centros de convívio e de tertúlias.
Sem imagem de perfil

De carneiro a 21.11.2012 às 18:31

Com esse tipo tão irritado por Cernache quem não põe lá os pés sei eu. 
Nem fotografias quero ver.

Comentar post



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Aventino

    Que pobre e miserável é o vosso povo.Aventino, ex-...

  • Anónimo

    A mim o que espanta é pessoas adultas terem passad...

  • O SÁTIRO

    depende meu caro...depende do plano de ação anual....

  • O SÁTIRO

    li, já não sei onde, que vieira da silva aprovou a...

  • O SÁTIRO

    nota se perfeitamente que os dois pombinhos estão ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D