Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Agora que Agosto chega ao fim...

por Pedro Correia, em 31.08.08

... É tempo de lembrarmos as advertências meteorológicas que foram sendo espalhadas no início de Junho, dando origem a notícias alarmistas, sobretudo nas televisões. Dizia-se que o Verão de 2008 podia ser o mais quente de sempre. Aqui e aqui, por exemplo, não faltou esse tom convicto e empolgado, com a inevitável caução "científica" que fez muitos correr às lojas para comprar aparelhos de ar condicionado enquanto vários outros sofriam antes do tempo, imaginando-se já com falta de ar, à boa maneira lusa. Nós, portugueses, adoramos sofrer por antecipação.

A táctica é conhecida: espalhar o medo, semear o pânico. Com assuntos de magna importância, como a "grande vaga de crimes", as "doenças do século" ou os "acidentes em série". Se não houver motivo para pânico, as notícias "não vendem". Toca lá, portanto, a apimentar a coisa. Depois logo se vê...

E o que se viu? Apenas isto: há muito não tínhamos um Verão tão fresco como este. As inabaláveis certezas "científicas" emigraram para parte incerta. Até ao próximo rumor, que pode acontecer já em Novembro. Talvez com a "previsão" de que virá aí o Inverno mais rigoroso de que há memória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sabedoria espanhola

por Pedro Correia, em 31.08.08

 

"Creio apaixonadamente que a democracia é um sistema de contenção. Quanto mais poder tens, mais te deves conter."

 

"Nisto de cumprir promessas, sou muito obsessivo. Porque me parece essencial para a credibilidade da democracia."

 

"Nunca nos devemos esquecer de que o exercício do poder é temporário. É fundamental, até para a saúde mental de um governante, que o poder seja desmistificado."

 

"Creio firmemente que tudo começa e acaba no Parlamento. Na verdade, a minha tese é que as eleições não se ganham e perdem nas campanhas, nem nos comícios. (...) As eleições ganham-se e perdem-se no Parlamento."

 

José Luis Rodríguez Zapatero, em entrevista à edição de hoje do diário El Mundo

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Grande tema, grande lema

por Francisco Almeida Leite, em 31.08.08

Coldplay - "Viva La Vida"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um filme que estreia brevemente, num País perto de si

por Francisco Almeida Leite, em 31.08.08

"Nesta III República, nunca um Presidente teve tanto poder político - Cavaco Silva orienta tanto o Governo como a oposição de direita. Após 2009, se não existir um vencedor absoluto, Cavaco Silva será o árbitro para induzir uma qualquer modalidade do Bloco Central com o pretexto de afastar o PC e o (outro) Bloco. E, claro, garantindo a sua própria reeleição".

Carlos Abreu Amorim, Correio da Manhã

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lido

por Francisco Almeida Leite, em 31.08.08

"A Lei de Segurança Interna põe o primeiro-ministro na posição ambígua de um superpolícia, que ninguém vigia e a que ninguém pede contas".

Vasco Pulido Valente, Público

Autoria e outros dados (tags, etc)

Domingo

por João Távora, em 31.08.08

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos


Peço-vos, irmãos, pela misericórdia de Deus, que vos ofereçais a vós mesmos como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus, como culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, pela renovação espiritual da vossa mente, para saberdes discernir, segundo a vontade de Deus, o que é bom, o que Lhe é agradável, o que é perfeito.
 

Da Bíblia Sagrada

Autoria e outros dados (tags, etc)

A melhor década do cinema (137)

por Pedro Correia, em 30.08.08

A CHAVE

(The Key, 1958)

Realizador: Carol Reed

Principais intérpretes: William Holden, Sophia Loren, Trevor Howard, Oscar Homolka, Kieron Moore

"Os três protagonistas têm desempenhos exemplares."

(Clive Hirschhorn)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Coisas do Espesso

por Cristina Ferreira de Almeida, em 30.08.08

O Expresso queria enviar jornalistas às eleições angolanas mas não consegue visto. Em vez de ficar satisfeito por ver assim confirmado tudo o que escreveu sobre o regime angolano, o Expresso resolve vir fazer queixinhas e dizer que a CPLP não pode ficar alheia a este ultraje.

Ao ler isto fui invadida por uma onda de ternura que me deixou os olhos rasos de lágrimas, confesso. Imagino já a CPLP a endurecer o tom com que se dirige aos governantes angolanos: "Os senhores governam mal e nós não dizemos nada; os senhores são corruptos, e nós nunca levantámos a voz. Agora isto -  isto, meus senhores - é ir longe demais! Desta vez, não vamos cruzar os braços! E somos obrigados a exclamar, com toda a indignação que nos assiste: Apre!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

A isto, sim, podemos chamar novidade

por Pedro Correia, em 30.08.08

Esta eleição presidencial nos EUA é já histórica por vários motivos. Desde logo, é a primeira desde 1952 em que irão a votos dois candidatos que não desempenhavam anteriormente funções na Casa Branca, como presidente ou vice-presidente. No campo democrata, fez-se história com a nomeação de um senador mestiço, filho de pai africano e muçulmano - facto inédito na vida política norte-americana. No campo republicano, também John McCain acaba de fazer história ao escolher Sarah Palin, a popular governadora do Alasca, como sua vice. À direita, é também um facto inédito. Geraldine Ferraro, candidata a vice-presidente em 1984, foi até hoje a única mulher a integrar uma parceria democrata à Casa Branca (nesse ano, o recandidato Ronald Reagan derrotou copiosamente o candidato do Partido Democrata, Walter Mondale).

Entre os adeptos de Barack Obama, nos EUA e não só, houve logo quem se apressasse a criticar Sarah Palin, que tem 44 anos, por "falta de experiência". É precisamente a principal crítica que pode fazer-se a Obama: do seu currículo - que inclui sete anos como deputado estadual no Illinois e quatro anos como senador em Washington - não consta qualquer cargo executivo. Palin tem essa experiência, pois governa há dois anos o Alasca. Mas a sua designação deve-se sobretudo à tentativa de McCain de captar o voto feminino - faixa do eleitorado que está longe de se render a Obama, sobretudo depois de este ter excluído Hillary Clinton da corrida à vice-presidência, contrariando muitos dos 18 milhões que votaram nela nas primárias democratas

Reveladoras foram as palavras de apreço que Geraldine Ferrraro e a própria Hillary dirigiram a Sarah Palin mal a notícia foi conhecida. Há hoje nos EUA muita gente a pensar assim, olhando com simpatia esta mãe de cinco filhos (um dos quais deficiente) que fez do combate à corrupção no Alasca uma das suas prioridades e está muito mais associada à palavra mudança do que o vice de Obama, Joe Biden, que mantém um assento no Senado desde 1972. Tinha então Sarah Palin oito anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sabedoria polaca

por Pedro Correia, em 30.08.08

"Travar agora os planos de acção para a integração da Ucrânia e da Geórgia na NATO equivaleria a enviar um sinal completamente equivocado: isso indicaria a aceitação tácita da divisão da Europa em esferas de influência. Não podemos aceitar a ideia de que a Rússia beneficia de uma posição de hegemonia que minaria os direitos soberanos dos seus vizinhos."

Aleksander Kwasniewski, ex-presidente da Polónia (1995-2005), em artigo publicado no Le Monde

Autoria e outros dados (tags, etc)

E porque não ela?

por Pedro Correia, em 29.08.08

"A mulher mais sexy do mundo não existe."

Charlize Theron

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Sofia Galvão, também obamófila

por Pedro Correia, em 29.08.08

Confirmar aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

No hotel mais ocidental da Europa

por Pedro Correia, em 29.08.08

Depois do Algarve, a Ericeira. Hospedado no hotel mais ocidental da Europa - o antigo Hotel Turismo, que conheci na infância, agora pertencente ao grupo Vila Galé. Uma tarde perfeita junto à piscina, dividida entre umas boas braçadas e a leitura de um livro sobre os Beatles, lançado pela ressurgida Ulisseia, enquanto ia contemplando um dos mais deslumbrantes panoramas da costa portuguesa. Sem o menor vestígio de nortada. O jantar foi no restaurante Sul, no Parque de Santa Marta: carpaccio de bacalhau, cogumelos à Sul, salada de meloa com presunto. Fica para outro dia o robalo cozido com algas, que já me garantiram ser excelente.

Falta-nos frequentemente a capacidade de apreciar o que temos de bom - que é muito. Depois de tantos anos a percorrer o estrangeiro, este Verão decidi ficar por cá. E não me arrependi: Portugal é um óptimo país para passar férias. O Michael Phelps que o diga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

As melhores férias da minha vida I

por João Távora, em 29.08.08

As primitivas memórias que guardo dos Verões em Milfontes fazem sentir-me velho. Nos anos sessenta, exceptuando o café da Barbacã, que tinha televisão e gelados, e talvez nalguma casa que eu ignoro, a iluminação utilizada era gerada por lamparinas de petróleo. Nessa época recordo-me de comprar rebuçados a meio tostão, e de na feira de Agosto cobiçar um reluzente bimotor Douglas em folha de flandres. É desses tempos que me lembro das infindáveis horas de sesta a que nós, crianças, éramos cruelmente condenadas todas as tardes. Eu invariavelmente suportava o castigo impaciente, de olhos esbugalhados no escuro, mas com os ouvidos nos sons da tarde mole, que se arrastava lá fora na rua a estalar de calor.

Foi nos anos sessenta que tomei consciência do mundo; quando os americanos chegavam à lua e se atravessava o rio Mira numa chata que o Sr. Joaquim Viola remava com um só remo alçado sobre a ré.
Conhecida como Princesa do Alentejo, a terra das três mentiras (não é vila, não é nova nem tem mil fontes) era principalmente uma aldeia de pescadores e tinha umas dezenas de casas à volta do forte seiscentista, e poucos eram os privilegiados forasteiros que usufruíam daquela encantadora praia, encimada por um areal imenso de altas dunas.
Todos os anos naquela pequena aldeia, durante umas semanas valentes, sentia-me incomensuravelmente feliz: com o nariz e as bochechas empastadas de Caladril, uma pomada cor-de-rosa para as queimaduras, passava todo o tempo possível dentro d’água. Diariamente, pela manhã (aqui presto devida homenagem à minha mãe, que tão perseverantemente pastoreava um rebanho de cinco rebeldes criancinhas), lá íamos todos para a praia junto do rio, que então era suficientemente espaçosa para as poucas dezenas de famílias de veraneantes que aí se encontravam todos os anos. Hoje essa praia encontra-se rasgada por uma estrada de alcatrão e o areal recuou pela erosão das marés tornando-a impraticável, pelo menos no Verão.
 

(Continua em baixo)

Autoria e outros dados (tags, etc)

As melhores férias da minha vida II

por João Távora, em 29.08.08

Uma certa manhã de Agosto, no dia dos meus anos, acordei estremunhado e espremido pelas eufóricas meiguices do meu pai. Chegara de Lisboa e trazia embrulhado de presente um minúsculo insuflável encarnado que (mal ele sonharia) me proporcionou uma das melhores férias de sempre. Eu encaixava que nem uma luva no barquito, que com as palmas das mãos remava com destreza. Na minha imaginação, possuía um autêntico veleiro com o qual alcancei a Índia, cheguei a África e ao topo do mundo. Tirarem-me da água é que era uma carga de trabalhos.

Ano após ano fui aprendendo a conhecer as águas e as marés daquele rio, que cheguei a atravessar a nado muitas vezes. E recordo com saudade as vezes que passeava orgulhoso ao lado do meu pai no seu Volkswagen aos abanões pelo meio das dunas dos Aivados. E havia o nosso guia Jacinto, um pescador autóctone que auxiliava o meu pai em façanhas piscatórias, e que nos acompanhava no Canal à lota do peixe. No último ano que passámos juntos nessa aldeia alentejana, meu pai comprou uma velha barca que deixou à guarda do Jacinto, para um imprescindível restauro. Depois do 25 de Abril, ele não voltou a Vila Nova, e eu nunca mais soube o que se passara com o nosso barco, com o qual tenho a certeza ambos sonhámos divertidas aventuras e passeios numas férias que jamais aconteceram. Talvez por mero pudor, nunca falámos do assunto.
Hoje, por lealdade e caturrice ainda reservo todos os anos uma parte das férias com a família em Milfontes, um destino que afinal se tornou numa pequena selva de betão, paredes-meias com dois enormes parques de campismo. Contra isso vale-nos uma casa que alugamos de costas para a vila e sobranceira ao rio, onde nos podemos abstrair da feira que fervilha lá atrás, e de noite ouvir o chapar dos barcos na água ou uma cigarra a trinar. E depois há as dunas e ondas do Malhão, os miúdos tomaram-lhes o gosto. E há os amores e os amigos de Verão que se querem sempre reencontrar, nem que seja só duas semanas para o ano que vem.

 

Foto d' aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A vice

por Francisco Almeida Leite, em 29.08.08

John McCain escolheu Sarah Palin como a sua candidata a vice-presidente. Como é evidente, as mulheres que se reviam em Hillary Clinton não se deverão rever na republicana governadora do Alaska. Como Barack Obama não teve a coragem necessária para escolher uma mulher, será Sarah a segunda mulher na história dos EUA concorrer à vice-presidência. A primeira foi Geraldine Ferraro, que concorreu com Walter Mondale em 1984. Mais importante, pelo menos para mim, é que Sarah concorreu a Miss Alaska exactamente nessa data, em 1984. Ora aí está, McCain em grande.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira

por Francisco Almeida Leite, em 29.08.08

Megan Fox.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Parabéns, Cristiano

por Maria Inês de Almeida, em 29.08.08

Depois da injustiça de, no ano passado, teres ficado atrás do brasileiro Kaká e do argentino Lionel Messi, finalmente foi-te dado o devido valor e és eleito o melhor jogador da Liga dos Campeões, para além de melhor avançado. Se, porventura, tiveres o Corta-Fitas nos teus blogues favoritos, não te inibas de nos contar o que realmente se passou com o Real Madrid ou, por exemplo, de nos dizer (só por curiosidade) qual o valor que realmente tiveste que pagar para colocar a tua sigla CR7 na matrícula do carro! Vê tu bem que aqui chegou a informação disparatada de que tinham sido 188 mil euros!! Imagina! Podes responder colocando aqui um post mas, por favor, não o faças por sms para o telemóvel de nenhuma das corta-fiteiras - as pessoas poderiam interpretar mal…  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Emoções básicas (6)

por Luís Naves, em 29.08.08

O que se passa com os opinion makers portugueses? Escreve Vasco Pulido Valente, no Público, referindo-se à crise georgiana: “O Ocidente principalmente não percebeu que, para a Rússia, uma verdadeira democracia e uma verdadeira economia de mercado eram um puro suicídio”.

O articulista tenta justificar a reacção russa explicando que o Kremlin (Vladimir Putin, Dmitri Medvedev) vê na acção ocidental parte de um processo de erosão do império russo à qual o centro não poderia sobreviver.

O argumento é extraordinário e legitima não apenas a autocracia de Putin mas o terror comunista. Equivale a dizer que a democracia é impossível na Rússia e que não vale a pena fazer qualquer esforço para a conseguir. Que o ocidente não pode nem deve apoiar qualquer tipo de vontade de liberdade dos povos sob influência russa e, presumo, isto deve valer para a era soviética. O autor também esquece que Moscovo está a esforçar-se por integrar ou aderir a organizações económicas internacionais, G8 ou OMC, visando criar uma economia de mercado.

A angustiante tese sustenta, no fundo, que os impérios nunca mudam, que não reagem a circunstâncias novas, mas antes a realidade deve moldar-se à sua própria produção de circunstâncias. Como se estes poderes flutuassem no vazio.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira AllTogether

por João Villalobos, em 29.08.08

 

Juntar-me a elas na água e explicar-lhes de que é feito um campeão

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 1/16



Corta-fitas

Inaugurações, implosões, panegíricos e vitupérios.

Contacte-nos: bloguecortafitas(arroba)gmail.com




Notícias

A Batalha
D. Notícias
D. Económico
Expresso
iOnline
J. Negócios
TVI24
JornalEconómico
Global
Público
SIC-Notícias
TSF
Observador

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • joao

    Ontem na TVI deu uma reportagem da Ana Leal sobre ...

  • Anónimo

    Parece-me contestável que um subsídio a artistas s...

  • José Fernandes

    O subsídio em causa terá integrado o conceito de c...

  • slade

    E quem mede o que cada um merece? Propõe alguma po...

  • Francisco

    Permita-me partilhar para quem quiser preparar na ...


Links

Muito nossos

  •  
  •  
  • Outros blogs

  •  
  • Links úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D

    subscrever feeds